Blindada das águas: lancha resistente a fuzil e de visão termal reforça segurança no mar - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Blindada das águas: lancha resistente a fuzil e de visão termal reforça segurança no mar

 

A Patrulha Costeira da Polícia Militar do Paraná (PMPR) recebeu um reforço de peso no início de junho. Fruto de um investimento de mais de R$ 2,2 milhões, o Litoral agora conta com o barco Aruanã 29-CM-P, uma embarcação militar blindada de última geração projetada especificamente para o combate à criminalidade. Entre as principais novidades da embarcação estão o casco blindado, que é resistente a tiros de fuzil, e o sistema de visão termal, que usa o calor ambiente para identificar pessoas e outros barcos. 

“É uma embarcação muito diferente em relação às outras que nós já temos pela estrutura dela. É um barco maior, mais potente, com o casco todo blindado, com vários sistemas diferentes de imagem e localização que ajudam no trabalho policial”, afirmou o comandante da Patrulha Costeira do 9º Batalhão da PMPR, o tenente Vinícius Szlanda. 

O barco passa a integrar a estrutura do pelotão policial que é responsável pela segurança das 39 comunidades ilhadas e ribeirinhas do Litoral do Paraná, onde moram mais de 10 mil pessoas. Além disso, ele vai ajudar nas ações de combate ao tráfico internacional de drogas na região. 

TECNOLOGIA – Por atuar em comunidades cujo acesso só é possível pela água, uma embarcação moderna como a Aruanã 29-CM-P ajuda as equipes a se deslocarem com mais agilidade e a atenderem melhor à população. As tecnologias do barco também permitem um trabalho mais eficiente no combate à criminalidade, especialmente nas rondas ostensivas da patrulha. 

A blindagem do casco é uma das mais eficientes que existem, resistindo a tiros de munição supersônica, que são tiros de fuzil e de calibre 7,62 milímetros, por exemplo.  

A embarcação também opera com um sistema de navegação que, além de contar com GPS e sonar, também tem um radar, que permite o deslocamento do barco por instrumentos, e um transponder. “Isso permite que a gente consiga identificar com facilidade as embarcações que estão no nosso entorno”, explicou o comandante da patrulha. 

O sistema conta ainda com várias câmeras integradas, que mostram no painel de controle imagens de alta definição e imagens termais. Com as câmeras termográficas, a imagem mostra os objetos a partir das diferenças de calor entre eles e o ambiente, sem depender das condições de luminosidade do local. Assim, ela consegue identificar uma pessoa ou uma outra embarcação mesmo com baixa visibilidade, como em uma perseguição noturna, ou em meio à fumaça ou névoa.  

POLÍCIA COSTEIRA
Foto: PMPR


ROBUSTEZ – A nova embarcação tem 29 pés de comprimento, o que equivale a quase 9 metros, e pesa aproximadamente 4,9 toneladas. Com este tamanho, pode transportar oito tripulantes, com uma autonomia de cerca de sete horas. 

Outra novidade é a potência do barco, que é movido por dois motores de popa de 300 HP. “São quase 600 cavalos de potência. Ela é bem mais potente do que as nossas outras embarcações, que têm dois motores de 150 cavalos”, explica o comandante. 

Por ter dois propulsores, a embarcação tem mais segurança nas operações e pode ir mais longe da costa, em um resgate ou em uma perseguição, por exemplo. O motor de popa também dá mais mobilidade ao barco, facilitando o acesso às praias e comunidades ilhadas. 

COSTA PARANAENSE – O Paraná tem mais de 100 quilômetros de extensão de orla marítima entre as divisas com São Paulo e Santa Catarina. São, ao todo, 125 praias e balneários, além de 57 ilhas. A Patrulha Costeira da Polícia Militar do Paraná foi criada em 2019 para atender esta região. O pelotão tem um treinamento especial para ações em água e em áreas fechadas de mata.  

Além das ações ostensivas na costa do Paraná, o grupo também atua em trabalhos preventivos nas comunidades e repressivos às ações criminosas. A Patrulha Costeira ainda trabalha em apoio à Polícia Federal e à Marinha do Brasil, principalmente, em ações de combate ao tráfico de drogas no Porto de Paranaguá. 

HELICÓPTEROS – A aquisição da embarcação blindada para o Litoral do Paraná faz parte de uma série de investimentos que o Governo do Estado tem feito para equipar os batalhões das forças de segurança do Paraná. Em 2023, foram investidos R$ 16,5 milhões em dois helicópteros do Projeto Falcão. As aeronaves são equipadas com vários sistemas de última geração que ajudam as forças de segurança do Paraná em resgates, perseguições e operações policiais. 

Um deles é o sistema MX-10, que fornece as imagens térmicas em alta resolução e zoom óptico, que permite identificar alvos a 15 quilômetros de distância, dependendo das condições climáticas e do tamanho do objeto. Estes sensores são projetados especificamente para serem usados em aviões, helicópteros ou veículos aéreos não tripulados (VANTs). 

Entre várias operações realizadas pelas aeronaves, especialmente nas áreas de fronteira, o sistema infravermelho foi fundamental para interceptar um helicóptero carregado com 243 kg de cocaína que voava fora do alcance de radares na região Noroeste do Estado e para prender o piloto. Um dia antes, um dos helicópteros do Projeto Falcão usou a câmera térmica para encontrar uma mulher que estava desaparecida em uma área de mata de difícil visibilidade, em Guaíra. 

As aeronaves também contam com óculos de visão noturna (OVN), alto-falante externo e farol de busca de alta performance, que ajudam na busca a alvos ou no apoio a equipes em terra em terrenos com baixa luminosidade e em áreas de difícil visibilidade. 

INVESTIMENTOS – No mesmo pacote de investimentos em que a embarcação foi entregue à polícia, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar receberam mais de R$ 30,5 milhões em equipamentos, veículos leves, caminhões e ambulâncias. O Governo do Estado ainda anunciou que, ao longo de 2024, vai investir mais R$ 117 milhões em viaturas e outros veículos para as polícias e para os bombeiros - entre eles, as ambulâncias mais modernas do Brasil para o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate). O aporte prevê também a compra de mais uma embarcação blindada para a polícia. 

Na fronteira Oeste, o Estado inaugurou, em uma parceria com a Itaipu Binacional, a nova sede da 2ª Companhia do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron). No investimento de R$ 28,4 milhões estão inclusas duas embarcações semi-blindadas para atuar nas operações especiais que acontecem nos rios da região. 


AEN