Paraná apresenta ações de controle e combate a arboviroses ao Ministério da Saúde - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Paraná apresenta ações de controle e combate a arboviroses ao Ministério da Saúde

 

Profissionais que atuam no Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública, da Secretaria estadual da Saúde, se reuniram nesta sexta-feira (31), de forma virtual, com técnicos do Ministério da Saúde, para debater questões e estratégias sobre o enfrentamento da dengue e chikungunya no Paraná. A reunião se deu por meio da Coordenação Geral de Vigilância das Arboviroses (CGARB) do País, e contou com a participação de outros estados.

"Um encontro importante, pois permite estreitar as relações do Estado com o Ministério da Saúde, garantindo um combate mais eficiente às arboviroses. A Secretaria da Saúde vem monitorando todo o contexto epidemiológico no Paraná e providenciando ferramentas para assegurar o melhor cenário possível a toda a população”, comentou o secretário da Saúde, César Neves.

Segundo a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes, o encontro buscou alinhar com o Ministério a recomendação de ações, a partir dos registros epidemiológicos no Estado.

“O Paraná tem realizado uma gama de medidas, desde capacitações até a abertura de leitos exclusivos para dengue. Esse encontro com o Ministério da Saúde e outros estados é uma maneira eficiente de contextualizar o enfoque no combate ao mosquito, atualizar panoramas e, sobretudo, fortalecer as estratégias de controle”, observou Goretti.

NÚMEROS – De acordo com o último boletim divulgado pela Sesa, o Paraná registrou, em relação a dengue, 85.204 notificações, 44.212 casos descartados, 11.102 casos confirmados e 11 mortes, desde o início do período epidemiológico, em agosto do ano passado. O Paraná soma 77 casos de chikungunya confirmados, além de um óbito e outros 438 casos em investigação.

Como medida de enfrentamento, o Governo do Estado anunciou, nesta semana, a antecipação do pagamento do Programa Estadual de Fortalecimento da Vigilância de Saúde (Provigia), num valor de R$ 9 milhões, a todos os municípios, que poderá ser utilizado para compra de medicamentos e insumos, além de outras demandas voltadas para o combate da dengue, zika e chikungunya.

Uma das regiões mais afetadas pelas doenças, Foz do Iguaçu recebeu, ainda, 50 leitos exclusivos para o tratamento da dengue, garantindo maior capacidade de atendimento aos pacientes.

MAIS AÇÕES – Para fortalecer o combate às doenças, o Estado tem executado, ainda, diversas capacitações a profissionais da saúde, que vão desde instruções sobre vigilância, até manejo clínico e diagnóstico de pacientes, além de emitir notas orientativas para garantir o melhor controle das arboviroses.

Outra medida adotada se dá pelas campanhas de conscientização quanto ao combate aos focos larvários do mosquito, algo fundamental, como enfatiza o secretário César Neves. "O Estado tem adotado ações de diferentes níveis para assegurar um combate amplo e incisivo. No entanto, é nosso papel reafirmar a responsabilidade coletiva. O cuidado com possíveis focos do mosquito, como pneus, calhas e outros ambientes propícios é indispensável para eliminar as larvas do Aedes aegypti, impedindo assim a sua reprodução", completou.


AEN