Central de bioenergia paranaense participa do lançamento do Programa Metano Zero e vislumbra grandes investimentos para o setor - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Central de bioenergia paranaense participa do lançamento do Programa Metano Zero e vislumbra grandes investimentos para o setor

 O foco do programa está no aproveitamento energético e como combustível de resíduos ou produtos orgânicos como fontes de biogás e biometano




O Ministério do Meio Ambiente lançou o Programa Nacional de Redução de Metano de Resíduos Orgânicos – Metano Zero, com medidas de incentivo à produção e ao uso sustentável de biometano. Além de isentar impostos de produtores que aproveitam resíduos urbanos e da agricultura para produção do combustível, o Governo Federal incluiu o metano no mercado de créditos de carbono, iniciativa inédita no mundo.

A EnerDinbo esteve no evento de lançamento, representada pelo diretor-técnico, Thiago González. Antes da implantação do programa, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, fez uma série de visitas a unidades modelo de geração de energia limpa, e a central de bioenergia, localizada em Ouro Verde do Oeste, Paraná, estava inclusa no roteiro. O ministro se surpreendeu com a estrutura e elogiou o potencial de crescimento do modelo de negócio.

O foco de atuação do Programa Metano Zero está voltado para o aproveitamento energético e como combustível de resíduos ou produtos orgânicos como fontes de biogás e biometano. Um destaque é dado aos resíduos sólidos urbanos e agrícolas, provenientes, por exemplo de: aterros sanitários, produção de cana-de-açúcar, suinocultura, criação de aves, indústria de laticínios, entre outros.
Na EnerDinBo, a energia é gerada a partir dos dejetos de suínos de 40 propriedades rurais próximas à central de bioenergia. Além disso, recentemente, a usina passou a receber sobras agroindustriais. As matérias-primas deixam de ser passivos ambientais e se tornam novos produtos: biogás, biofertilizante e, em breve, biometano. Está em implantação um novo espaço para a geração do biocombustível, a partir de verba destinada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia.

Parte da frota que faz o recolhimento dos resíduos passará a ser abastecida com o biometano produzido na própria usina.
Entre as medidas de incentivo ao uso do biometano e biogás estão:
  • Linhas de crédito e financiamento específicas de agentes financeiros públicos e privados para o desenvolvimento de ações e atividades para implantação de biodigestores;
  • Implantação de sistema de purificação de biogás, produção e compressão de biometano;
  • Criação de pontos e corredores verdes para abastecimento de veículos pesados movidos a biometano, tais como ônibus, caminhões e implementos agrícolas, contribuindo para a redução de gases de efeito estufa e para a melhoria da qualidade do ar;
  • Implantação de tecnologias que permitam a utilização de combustíveis sustentáveis e de baixa intensidade de emissões de gases de efeito estufa em motores de combustão interna de ciclo Otto ou diesel, atendidas as normas fixadas pelos órgãos competentes;
  • Alavancagem da utilização ou desenvolvimento da tecnologia veicular;
  • Desoneração tributária para infraestruturas relacionadas com projetos de biogás e biometano.
A EnerDinBo espera se beneficiar das novidades. “O lançamento do Programa vai ao encontro da nossa nova perspectiva de trabalhar com o biometano e veio como um grande incentivo para continuar o investimento no segmento, uma vez que haverá isenção de impostos e taxas, que muitas vezes encarecem a compra e implantação dos equipamentos necessários para a atividade. Ainda neste semestre, 14% da nossa logística será feita com biometano. Com o programa, pretendemos ampliar a produção de biometano e, consequentemente, a produção de biogás, gerando um círculo virtuoso, já que, com isso, precisaremos de mais matéria-prima e vamos retirar mais resíduos do meio ambiente”, explica Thiago González.