Laranjeiras - Presidente Magrão encaminha ofício às Câmaras da região visando auxílio para a UTI - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Laranjeiras - Presidente Magrão encaminha ofício às Câmaras da região visando auxílio para a UTI

 

A luta pela manutenção da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto São José (ISJ) continua. Visando unir esforços e buscar apoio das autoridades regionais, após a sessão ordinária da última segunda-feira, 15, em que a Casa de Leis recebeu a Direção do Hospital, o presidente da Câmara de Laranjeiras do Sul, vereador Carlos Alberto Machado-Magrão, expediu ofício aos chefes dos legislativos de Marquinho, Rio Bonito do Iguaçu, Nova Laranjeiras, Cantagalo, Porto Barreiro e Virmond que, além do município sede, são os principais atendidos pela UTI do Instituto. O documento pede que a situação da Unidade seja apresentada pelos vereadores aos seus prefeitos, deputados estaduais e federais.

Custos – O ofício ainda apresenta números sobre despesas que totaliza, com equipe reduzida, R$ 283 mil mensal para o atendimento geral. Do valor, R$ 240 mil representa o pagamento de médicos 24 horas, enfermeiros, fisioterapeutas, zeladora e técnicos de enfermagem, além de R$ 20 mil que custeia o contrato com o Hospital São Vicente, garantindo especialidades médicas exigidas pelo Ministério da Saúde, a exemplo de Cardiologista e Ortopedista de Alta Complexidade, Oftalmologista, Urologista, Cirurgião Vascular e Neurologista.

O valor também custeia a locação de máquinas, sendo R$ 3 mil para hemodiálise e R$ 4 mil de gasometria; R$ 7 mil garante o pagamento de um Nefrologista alocado no hospital, além de R$ 6,3 mil divididos entre profissionais de Fonoaudiologia e Psicologia. Outros R$ 3 mil são destinados aos plantões com profissionais dos laboratórios, tomografia e Raio-X. Conforme a Direção do Hospital, os valores ainda não somam os custos com medicamento, exames laboratoriais e de imagem, dietas enterais e oxigênio.

Soma de esforços - O vereador Magrão espera, com o ofício, sensibilizar os presidentes de Câmara visando a soma de esforços pela manutenção da Unidade, seja por meio da Associação Intermunicipais de Saúde do Centro Oeste (ASSISCOP) ou via convênios. “Os custos por leito representam, por dia, uma média de R$ 2 mil reais. São 10 leitos. Então nosso apelo é garantir a verba, seja por meio do HospSUS, via intermédio dos deputados estaduais, ou da ASSISCOP, por meio dos municípios. Juntos esperamos garantir a continuidade dos trabalhos”, pronunciou o presidente.


Assessoria