Brasileira é presa na Tailândia e família teme pena de morte - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Brasileira é presa na Tailândia e família teme pena de morte

Mary Hellen Coelho Silva, de 22 anos, está presa na Tailândia suspeita de tráfico internacional de drogas. Foto: Reprodução 


A jovem e dois homens brasileiros foram flagrados transportando 15,5 quilos de cocaína em três malas, avaliados em R$ 7 milhões

A mineira Mary Hellen Coelho Silva, de 22 anos, está presa na Tailândia suspeita de tráfico internacional de drogas. Ela foi detida ao desembarcar no aeroporto de Bangkok, na última segunda-feira (14), após sair do Brasil pelo aeroporto de Curitiba.

Ela e dois homens brasileiros foram flagrados transportando 15,5 quilos de cocaína em três malas, avaliados em R$ 7 milhões. A família da jovem teme pela vida dela, já que no país asiático o crime de tráfico de drogas pode ser punido com pena de morte.

“Ela tinha sonhos, planos. Não merece perder a vida assim. Tudo precisa ser investigado; a Mary nunca tinha saído do país”, conta a irmã, Mariana Coelho, de 27 anos. As jovens são de Pouso Alegre, no Sul de Minas.

Em conversa com a reportagem, Mariana revela o medo da família de que a irmã seja condenada à pena máxima no país — punição que depende da aviação do judiciário a depender da quantidade e das circunstâncias do crime — e que só soube da prisão no domingo (20).

“Eu não sabia que ela estava fora do país. Pensei que tinha viajado para Curitiba para encontrar um rapaz que ela conheceu na internet. Coisas de jovem, sabe? Mas ela me encaminhou um áudio desesperada, pedindo ajuda, dizendo que temia pela vida dela. Não temos conhecimento sobre os homens que estavam com ela. Não conhecemos”, afirma Mariana.

No último contato com a irmã, em um áudio a um advogado conhecido da família, Mary Hellen chora e pede que a família procure ajuda na embaixada brasileira para intervir na situação. “Diga a minha irmã e minhas sobrinhas que eu as amo muito. Peça que eles não fiquem preocupados e que me ajudem”, pede a jovem. A família agora tenta localizar um advogado especializado que possa ajudar no caso.

Mary Hellen morava com a irmã e trabalhava em uma churrascaria de Pouso Alegre e tinha pedido demissão uma semana antes de embarcar. Ela também tinha voltado a estudar. Estava no primeiro ano do Ensino Médio. Segundo a família, a jovem nunca teve envolvimento com drogas ou havia sido presa.

“Estamos fazendo de tudo pra que ela volte para o Brasil. Por isso, apelamos para o Itamaraty, redes sociais e a imprensa. Vamos lutar pela vida da Mary. Ela tinha parado de estudar para trabalhar e conquistar as coisinhas dela. Agora, tinha retornado. Ela não é nenhuma criminosa.”

Leia a matéria completa no site da Banda B