Laudo do governo de SP nega que vacina tenha provocado parada cardíaca em criança de 10 anos - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Laudo do governo de SP nega que vacina tenha provocado parada cardíaca em criança de 10 anos

 


A Secretaria da Saúde de São Paulo concluiu nesta quinta-feira (20) que a vacina contra a Covid-19 não foi a causa de uma parada cardíaca em uma criança de 10 anos, em Lençóis Paulista, no interior do estado.

O evento adverso pós-vacinação foi descartado após análise do Centro de Vigilância Epidemiológica da pasta, realizada por mais de dez especialistas. "Não existe relação causal entre a vacinação e quadro clínico apresentado", afirma o órgão em nota.


A análise apontou que a criança tinha uma doença congênita rara, desconhecida até então pela família, que desencadeou o quadro clínico.


Em nota, a Secretaria da Saúde diz que reforça a importância da vacinação e "reafirma que todas os imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária são seguros e eficazes".


A informação de que uma criança apresentou alterações nos batimentos cardíacos após tomar a vacina contra a Covid-19 levou a Prefeitura de Lençóis Paulista, no interior paulista, a suspender na quarta-feira (19) a campanha de imunização de crianças.


A decisão foi tomada pelo prefeito Anderson Prado (DEM) depois de circular um relato de que uma criança com asma teria apresentado alterações nos batimentos cardíacos e, segundo relato dos pais, chegou a desmaiar cerca de 12 horas após a aplicação da vacina.


A criança foi levada para uma clínica particular e transferida para um hospital em Botucatu, onde permanece sob observação. A Prefeitura de Lençóis Paulista informou que, segundo a família, a criança tem quadro estável e está consciente.


Em nota divulgada nas redes sociais, a Prefeitura de Lençóis Paulista afirmou que não teve acesso ao prontuário da criança. Mesmo assim, optou por suspender a vacinação infantil por sete dias.

O prefeito informou, no entanto, que pais ou responsáveis que procurarem espontaneamente a rede poderão vacinar os filhos.


O Bonde