Assembleia Homenageia 150 Anos Da Imigração Polonesa No Paraná - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Assembleia Homenageia 150 Anos Da Imigração Polonesa No Paraná

 

Comunidade polonesa recebe homenagem da Assembleia Legislativa do Paraná.. Créditos: Dálie Felberg/Alep

A Assembleia Legislativa do Paraná encorpou as celebrações dos 150 anos da chegada dos primeiros imigrantes da Polônia no Paraná. Uma longa parceria forjada no trabalho e dedicação e que contribuiu com o progresso paranaense recebeu Menção Honrosa na tarde desta terça-feira (7). Reconhecimento entregue a representantes da BRASPOL (Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa do Brasil), mas estendido a todos os imigrantes e descentes que formaram no estado a maior colônia polonesa no Brasil.

“De uma forma muito prazerosa, quero expressar meus sinceros agradecimentos ao povo polonês que chegou ao Paraná em 1871. Nação amiga, povo trabalhador, abnegado, de luta, de vitória e conquistas trazidas desde então para o bem comum do nosso estado. Laços que perduram no tempo e nos fazem crescer juntos ainda mais”, afirmou o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, que propôs a homenagem.

O Paraná conta com cerca de 1,2 milhão de descendentes – 300 mil só em Curitiba, o que faz da capital a cidade mais polonesa do país. História que começou no bairro Pilarzinho/Mercês em 1871. Eram 16 famílias que estavam em Brusque (SC) e outras 16 que acabavam de chegar da região da Alta Silésia.

“A Polônia se encontrava no domínio de três potências: Rússia, Prússia e Áustria. Não foi fácil para aqueles que deixaram sua pátria, chão e entes queridos para se aventurarem em terras distantes atrás de pão e liberdade”, afirmou a vice-presidente da BRASPOL, Maria de Lourdes Kuchenny, em discurso no Plenário. “Queremos agradecer à Assembleia por este reconhecimento especial em um ano tão significativo”, reforçou.

“Que presente mais lindo”, comemorou a secretária de Atividades Artísticas da BRASPOL, Danuta Lisicki de Abreu. Uma das últimas imigrantes vindas para o Paraná no pós-guerra, ela destacou a união dos povos e a religiosidade tão forte dos poloneses que deixou marcas perenes no estado. Ela coordena o Memorial São João Paulo II, construído para a vista do pontífice a Curitiba em 1980. O local tem sido palco de várias comemorações pelo sesquicentenário da imigração.

Também estiveram na Assembleia o presidente da BRASPOL, Rizio Wachowicz; a secretária do Movimento de Jovens Lindamir Skonieski e o secretário Administrativo da entidade, Alcides Ziemniczak. A entidade foi criada há 31 anos no Paraná e hoje está em 16 estados promovendo a cultura e tradição polonesas.

ALEP