Vereadores recebem protetores individuais visando avanços em prol da causa animal - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

Vereadores recebem protetores individuais visando avanços em prol da causa animal

 


Com o objetivo buscar soluções e fortalecer as políticas públicas de proteção à causa animal no âmbito de Laranjeiras do Sul, a Câmara de Laranjeiras do Sul sediou uma reunião entre os vereadores Ivaldonir Panatto e Celso de Azevedo; representantes da sociedade civil organizada, os protetores individuais Maira Sartori, Claudio Marqueviski e Edilson Mesquita; além do Médico Veterinário da Secretaria de Agricultura, Jean Bertuol. O encontro aconteceu na quinta-feira, 12, e foi apenas o primeiro passo em prol da causa.

Na oportunidade, os presentes debateram formas de iniciar uma política pública para solucionar a questão dos animais abandonados, além de apresentar questionamentos acerca da atuação do Castramóvel no município. De acordo com Bertuol, o veículo chegou a Laranjeiras do Sul no fim de 2019, sendo que durante seis meses os profissionais passaram por diversos treinamentos. Em paralelo, explicou o veterinário, respondendo aos questionamento dos protetores, o Executivo estudava a criação do primeiro projeto, que atenderia 200 animais.

“Nosso objetivo era contemplar 143 cães e 47 gatos. Em três meses, foi possível castrar 24 no Bairro Presidente Vargas, 28 no São Miguel e 22 no Monte Castelo. A continuidade da proposta estava prevista para março nos Bairros Palmeiras e Água Verde. O circuito voltaria, iniciando pelo PV, até atender 200 animais”, esclareceu Jean. “O projeto ocorreu com apoio do Conselho de Medicina Veterinária que nos sugeriu, para o primeiro momento, castrarmos machos, por conta dos cuidados pós operatórios”, destacou o servidor.

Jean também explicou que o Castramóvel conta com uma atuação multiprofissional. Além da Secretaria de Agricultura, o projeto tem profissionais da Saúde, Educação e Assistência Social, a exemplo dos Agentes de Saúde, que fazem o primeiro contato com os moradores. “O projeto do Castramóvel chama-se Unidade Móvel de Esterilização e Saúde. Ou seja, também aborda o âmbito educativo dos cuidados com os animais”, disse. “O poder público concorda que Castramóvel é apenas o início das políticas públicas”.

Cadastro Único – Outros questionamento dos protetores foram em relação aos atendimentos direcionados apenas aos moradores de baixa renda. Segundo o veterinário, o poder público em primeiro lugar deve atender aos mais carentes, mas há abertura e interesse para que se amplie a atuação. “Nosso objetivo é criar soluções em conjunto para que funcione”, disse.

A pedido dos protetores, o veterinário apresentou dados sobre os investimentos realizados. Conforme Jean a administração não deixou faltar nada. Foram R$ 40 mil reais para a primeira etapa, sendo R$ 25 mil de insumos descartáveis e R$ 15 mil de materiais permanentes. Sobre atendimentos diários, o servidor explicou que é subjetivo. “Em alguns momentos, marcávamos 25 animais para três dias. Mas muitos moradores não compareciam. Além disso, depende da questão técnica. Por isso fazemos exames pré-clínicos com todos os animais”, concluiu.

Informações CMLS