Uninter mantém liderança no ranking de qualidade do MEC entre as grandes do ensino superior privado - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

URGENTE

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Uninter mantém liderança no ranking de qualidade do MEC entre as grandes do ensino superior privado


Uninter  confirmou neste mês a sua liderança em qualidade de educação entre as maiores instituições privadas de ensino superior do país, segundo ranking do Índice Geral de Cursos (IGC) divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 23 de abril de 2021. A Uninter foi novamente classificada com a nota 4 no IGC, o que significa que manteve o conceito de excelência conquistado em 2019 e está entre as mais qualificadas instituições brasileiras de ensino.

A nota 4 no IGC, somada ao conceito 5 obtido no recredenciamento pelo MEC, faz da Uninter a melhor instituição do Brasil em educação a distância (EAD). Para o reitor Benhur Gaio (foto), a boa nota, que vem do ótimo desempenho dos alunos, reflete o esforço e a qualificação de todas as equipes de colaboradores da instituição. “Dos estudantes que fizeram as provas do Enade pela Uninter, 98% são da modalidade a distância. Isso comprova a nossa qualidade de ensino”, conclui.

 

O IGC é um bom indicador na hora da escolher a instituição em que você irá realizar o ensino superior, o que nem sempre é uma tarefa fácil. Muitas vezes você pesquisa sobre a estrutura e a história, conversa com amigos e sua rede de contatos. Mas essa decisão pode ser mais tranquila, pois existe esse medidor prático e menos abstrato desenvolvido pelo MEC que ajuda muito a eleger a instituição certa.

Essa análise da qualidade dos cursos e das instituições é feita pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), processo conduzido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entidade federal vinculada ao MEC e também responsável pelo Enem.

O Sinaes foi instituído pela Lei 10.861, de 2004, e tem por objetivo verificar o desempenho dos estudantes e das instituições de ensino superior. Para isso, o Inep utiliza três indicadores, entre eles o IGC. Para você compreender melhor o que é o IGC,  vamos explicar como ele é obtido e qual a sua importância.

O que é o IGC?

O IGC classifica as instituições com uma nota entre 1 e 5, que busca sintetizar a qualidade média de todos os cursos da instituição, de graduação e de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado). A nota 1 indica a pior qualidade e a 5, a melhor.

O IGC é o indicador responsável por determinar a qualidade da instituição de ensino superior, calculado anualmente. É considerado o mais completo dos três indicadores e, por isso, é informalmente conhecido como a “Nota do MEC” para a instituição.

Indicadores de avaliação

A avaliação do MEC é feita por meio de três indicadores de desempenho, que avaliam os alunos, os cursos e as próprias instituições. São eles:

·         Conceito Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), que avalia o desempenho dos estudantes (no ingresso e na conclusão do curso);

·         Conceito Preliminar de Curso (CPC) – avalia a qualidade dos cursos ofertados;

·         Índice Geral de Cursos (IGC) avaliados da instituição – avalia a qualidade institucional.

Os indicadores têm o objetivo de determinar o que está indo bem e o que precisa melhorar no ensino superior brasileiro. Portanto, geram dados relevantes para que o governo e as instituições tomem decisões importantes. Agora, vamos focar em explicar o terceiro item, o IGC.

O cálculo do IGC é realizado a partir dos seguintes itens:

·         médias extraídas do CPC dos cursos avaliados naquela instituição nos últimos três anos do Enade;

·         média de avaliação dos programas de mestrado e doutorado, se houver (ação coordenada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Capes);

·         distribuição dos estudantes nos diferentes níveis de ensino (graduação ou pós).

O que vale a pontuação no IGC?

Para entender melhor como funciona a pontuação do IGC, o MEC estabeleceu alguns padrões. Veja quais são:

Notas 1 e 2 – Insatisfatório

Instituições nesta faixa estão abaixo do esperado. Podem receber sanções e estão sujeitas a acompanhamento próximo do Ministério da Educação até conseguirem elevar a sua pontuação.

Nota 3 – Adequado

A pontuação igual ou maior que 3 é um bom resultado. Considera-se que as instituições avaliadas com essa nota oferecem uma formação adequada aos seus estudantes de graduação ou pós-graduação.

Notas 4 e 5 – Excelente

Instituições que recebem uma dessas notas fazem parte do grupo de excelência. Isto é, oferecem cursos com qualidade verificada: corpo docente de alto nível, conteúdo bem escrito, ótima infraestrutura (física, no caso dos cursos semipresenciais e presenciais; ou digital, por meio do ambiente virtual de aprendizagem dos cursos de ensino a distância) e suporte total aos alunos.

Um detalhe sobre o Enade

O Enade é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) desde 2004. Cursos diferentes são avaliados a cada ano, com o objetivo de avaliar o conhecimento dos estudantes que estão concluindo a graduação em relação ao conteúdo previsto nas diretrizes curriculares de cada curso.

Um detalhe importante é que o Enade tem um impacto grande na nota do IGC, já que o conceito obtido pelo aluno no exame é um dos elementos utilizados para o cálculo do CPC e outros conceitos. Logo, se os alunos têm desempenho baixo no Enade, isso vai ser refletido na nota global da instituição (primeiramente, no CPC, depois, no IGC).

Além disso, é obrigatório participar do Enade para a obtenção do diploma. Ou seja, enquanto não realizar o exame, o aluno não se forma.

 

Nenhum comentário: