Chefs de Foz do Iguaçu fazem receitas de família com produtos com IG - Cantu em Foco - O maior site de notícias online da região Cantu no Paraná

Últimas

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Chefs de Foz do Iguaçu fazem receitas de família com produtos com IG

 

Na primeira transmissão da série, pratos serão preparados por chefs do oeste paranaense

Crédito das fotos: Guto Souza

O Sebrae/PR vai realizar a partir deste sábado (12), a primeira live do projeto Nossa Casa Viva, que reunirá chefs de várias regiões do estado e produtos com Indicação Geográfica (IG) ou mesmo com o Selo Alimentos do Paraná. Com elementos de receitas de família, valorização do trabalho de produtores e para a promover a cultura gastronômica do Paraná, o projeto estreia com duas receitas: Vori Vori e pudim de leite com pipoca caramelizada com mel do oeste, preparados, respectivamente, pelo chef Fabio Del Antonio e pela proprietária da Bonna Trattoria, Giovanna Salvatti Rafagnin, ambos de Foz do Iguaçu. O grande diferencial, além dos produtos regionais, é o modo de preparo, que resgata vínculos, tradições e aquele sabor de preparo tradicional da receita de família.

“Quando vamos preparar uma receita da família e ficamos em dúvida sobre a ordem dos ingredientes, por exemplo, ligamos para alguém pedindo ajuda e tentamos seguir o passo a passo, mesmo de longe. O projeto tem esse resgate, pois os chefs convidados farão os pratos ao vivo, dando dicas e toques especiais em cada prato”, explica o consultor do Sebrae/PR, Emerson Durso.

Todos os pratos têm na receita algum elemento tipicamente paranaense, que faz parte do movimento Origens Paraná ou do Selo Alimentos do Paraná. O primeiro reúne produtores em ações de vendas e de valorização de produtos regionais, além de trabalhar pela obtenção do registro de Indicação Geográfica, concedido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, com valor intrínseco e identidade própria. Ao todo, oito produtos paranaenses já possuem IGs e outros 23 também buscam o registro. Já o Selo Alimentos do Paraná é uma certificação de gestão e qualidade para alimentos e bebidas, disponibilizado por um grupo de entidades. As empresas passam por auditorias por certificadoras de referência e realiza ações de consultoria, serviços tecnológicos, eventos e ações de expansão de mercado.

Na primeira live, o Vori Vori tem recheio de queijo meia cura de Witmarsum, produto com IG, e farinha de milho Sabor do Campo, que possui o Selo Alimentos. Já o pudim de leite tem o toque adocicado do mel com IG produzido pela Coofamel, cooperativa da região oeste paranaense, que também conquistou o registro de IG. 

Vori Vori é um prato com bolinhas feitas de farinha de milho recheadas com queijo.

“É um projeto fantástico. Nos ajuda na divulgação da ideia de que o mel não é só um remédio natural para os períodos de inverno: ele pode ser ingrediente versátil e de destaque em vários pratos na gastronomia do ano todo. O Nossa Casa Viva convida os paranaenses a conhecerem mais sobre o Estado e a região onde moram. Faz com que as pessoas reconheçam e valorizem o que vem da nossa terra”, ressalta Antônio Schneider, presidente da Coofamel.

 

Pratos escolhidos

Na primeira transmissão, os pratos têm um apelo especial: assim como Foz do Iguaçu é uma cidade de muitas culturas e, por consequência, de muitos sabores, as receitas foram escolhidas de forma a representar algo acolhedor, familiar e tradicional. O Vori Vori, por exemplo, é um prato muito conhecido no Paraguai. A iguaria consiste em pequenas bolinhas feitas com farinha de milho, recheadas com queijo, servidas em um caldo de carne, frango ou legumes.

“Na Europa, vemos muita referência entre comidas, bebidas e localidades. Queremos ir à Parma para comer o legítimo parmesão. Foz do Iguaçu não é definida em apenas um sabor, mas não tem como entender o fato de um turista da Ásia, por exemplo, comer um churrasco e achar que isso é típico da nossa cidade. Por isso, precisamos nos unir mais para valorizar esse debate da identidade regional. Apesar do Vori Vori ser tipicamente paraguaio, sabemos que Foz do Iguaçu tem muita influência da cultura do País vizinho e, por isso, ele representa essa essência plural da cidade”, argumenta Fabio.

Fabio elegeu um sabor tipicamente paraguaio para compartilhar com o público durante o projeto. 

Já o pudim traz outras origens: a da família da Giovanna Rafagnin. A receita de autoria da avó dela, que tem 92 anos, conquistou os mais exigentes paladares e, com a pipoca, ganhou mais um sabor especial. 

“O maior desafio é conseguirmos fazer um pudim tão gostoso quanto o da minha avó. Mas é uma sobremesa prática, com ingredientes que todos têm em casa e leva o plus da pipoca com mel, que dá a crocância e traz um diferencial para o prato”, pontua a empresária.

Sobre a utilização de produtos locais, Giovanna garante que o projeto é um convite especial. Para ela, trabalhar com ingredientes produzidos no País fortalece conterrâneos e favorece o trabalho com produtos mais frescos e saborosos.

Giovanna Rafagnin resgatou uma receita de família para o projeto. 

 

Para os que tiverem vontade de reproduzir o Vori Vori ou o pudim com pipocas caramelizadas, basta se inscrever e se conectar na transmissão, que será neste sábado (12), às 11 horas. Nessa e nas demais lives, haverá o contato direto com uma cozinha estúdio e um bate-papo com os chefs sobre a gastronomia paranaense, alimentos e produtores locais. Para garantir a inscrição, que é gratuita, basta acessar o site Nossa Casa Viva e preencher ao formulário solicitado. Além das lives, o projeto também contempla a produção de materiais impressos com as receitas e montagem de pontos de venda dos produtos típicos em vários pontos do Estado.

Confira a agenda de lives e as receitas de cada evento:

●            12/09 - Giovanna Salvatti Rafagnin e Fabio Del Antonio – Foz do Iguaçu – Vori Vori e Pudim de leite com pipoca caramelizada com Mel do Oeste

●            19/09 - Vinicius Fabretti – Cascavel – Ossobuco com risoto de pinhão

●            26/09 - Rosane Radecki – Palmeira – Pão no bafo com porco Moura

●            03/10 - Silvana Gnata – Morretes - Caldeirada com frutos do mar

●            10/10 - Polyana Cristina De Souza – Londrina- Sukiyaki e tempurá de legumes

●            17/10 - Guilherme Biesek - Itapejara D’Oeste - Costelinha suína assada com melado de Capanema e mostarda picante em crosta de erva-mate de São Mateus do Sul

●            24/10 – Ana Paula Segatto – Maringá – Angu de milho com porco na lata

●            31/10 - Vania Krekniski – Curitiba - Paleta de cordeiro e legumes assados.

Nenhum comentário: