Casos de maus tratos e abandono animal crescem durante pandemia - Cantu em Foco - As principais notícias da região, você encontra aqui no Cantu em Foco

Últimas

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Casos de maus tratos e abandono animal crescem durante pandemia

O delegado titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, Matheus Laiola, é o entrevistado do programa Assembleia Entrevista da TV Assembleia.. Créditos: Reprodução
Os problemas causados pela pandemia do novo coronavírus não afetaram apenas a saúde pública ou economia. Muitos animais também passaram a sofrer com os reflexos do isolamento social e dos problemas financeiros. São situações de abandono e maus tratos, como relata o delegado titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, Matheus Laiola, em participação no programa Assembleia Entrevista da TV Assembleia nesta semana. “A pandemia causou um aumento dos casos de maus tratos e abandono por dois motivos. Primeiro pelas pessoas pensarem que os animais poderiam transmitir o vírus. Outra questão que influenciou é de ordem financeira”, explica Laiola.
A explicação se reflete em números. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Civil do Paraná resgatou, em Curitiba e Região Metropolitana, cerca de 400 animais que sofriam maus-tratos ou eram mantidos de maneira criminosa em cativeiros. Desse número, 80% se trata de resgate de animais domésticos, como cães e gatos, além de cavalos. O restante é de animais silvestres, como cobras, tartarugas e algumas espécies de aves. Ainda de acordo com a Polícia Civil, de janeiro a junho de 2020 foram resgatados, em média, dois animais por dia.
O crescimento de ocorrências durante a crise do novo coronavírus não é a única coisa que preocupa o delegado. O pós-pandemia é nebuloso. “Nossa preocupação é quando passar a pandemia. As pessoas vão abandonar esses animais novamente? Temos o pensamento positivo de que isso não vai acontecer”.
A positividade do delegado tem fundamento. Ao mesmo tempo em que cresceu o abandono, Laiola percebeu um reflexo do isolamento social no número de adoções. “Houve também um aumento de adoção. As pessoas em isolamento sentiram necessidade de ter um pet do lado, fazendo companhia”, revelou.
Julho Dourado – Neste sentido, a Assembleia Legislativa do Paraná faz sua parte na defesa da causa animal. Este mês, no Estado, é dedicado aos animais, por meio do Julho Dourado. O objetivo do período é gerar a reflexão sobre a saúde de animais de rua e domésticos, além da conscientização da prevenção de doenças, as zoonoses e luta contra o abandono. O Julho Dourado foi criado pela Lei 19.472/2018, de autoria do deputado estadual Cobra Repórter (PSD).
Para o parlamentar, a campanha vem dando resultados. “O Julho Dourado é um projeto que já está em seu terceiro ano. Mesmo com pandemia, o resultado da campanha deste ano é satisfatório. Várias pessoas estão aderindo. Tivemos vários empresários ajudando as ONGs com distribuição de ração e vacinas. Foi surpreendente. Queremos conscientizar as pessoas e o resultado é muito positivo”, comentou o deputado em entrevista ao programa Política Total, da TV Assembleia.
Para Matheus Laiola, a iniciativa é de extrema importância para a causa. “O Julho Dourado é importante para conscientizar as pessoas, colocando a causa animal em voga. Vemos casos que revoltam a população, por isso a campanha é necessária. Animal não é uma coisa que você pode jogar fora. A Constituição veda a crueldade animal. Temos de ter essa consciência. Educação é importante. Se a campanha atingir apenas uma pessoa, já ficamos satisfeitos”, comenta.
Para o titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, a ação das pessoas por meio de denúncias auxilia na proteção dos animais. “Precisamos da população fazendo as denúncias de abandono e maus tratos, com fotos e vídeos. As denúncias sobre crimes ambientais praticados contra animais podem ser feitas pelo telefone 181 ou pelo site www.181.pr.gov.br. O canal é sigiloso e rápido. As pessoas não precisam se deslocar até a delegacia”, lembra.
 Laiola alerta, por fim, que o abandono animal é crime. “Se a pessoa não tem condições, não tenha o animal. Para ter animal, você precisa dar alimentação, dedicar tempo, atenção. Se não tiver tempo e condição financeira, não tenha”, recomenda.

A íntegra do programa com o delegado titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, Matheus Laiola, pode ser assistida pela TV Assembleia, através da Claro/Net canal 16 e 20.2 em canal aberto e também no canal do Youtube no link: https://youtu.be/F76vGoLZqkA.

Nenhum comentário: