ALERTA - Guarapuava tem primeiro caso de suspeita de coronavírus - Cantu em Foco - O maior site de notícias online da região Cantu no Paraná

Últimas

quarta-feira, 11 de março de 2020

ALERTA - Guarapuava tem primeiro caso de suspeita de coronavírus

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta quarta feira (11 de março) que Guarapuava tem o primeiro caso suspeito de coronavírus. Por outro lado,  foram descartados sete casos de coronavírus também hoje. Os suspeitos eram de Cascavel (2), Curitiba (3) e Londrina (2).
A pasta também adicionou sete outros suspeitos em: Cascavel (1), Curitiba (4), Foz do Iguaçu (1) e Guarapuava (1).
Ao todo o Paraná tem 49 suspeitos. Entre eles há um morador de Curitiba, que foi atendido em um hospital particular e fez exames em laboratório da rede privada com indicação de positivo para a doença.
Exames de contraprova estão sendo realizados pelos laboratórios credenciados e a pessoa está em isolamento domiciliar.
CAPACITAÇÃO
Na tarde desta quarta (11), a secretaria de Saúde promoveu uma capacitação dos funcionários da rede municipal sobre o protocolo de atendimento para casos suspeitos de coronavírus. “Apresentamos o plano que foi elaborado de acordo com o Estadual e Federal, de prevenção ao coronavírus. Alertamos as equipes quanto ao protocolo de entrada do paciente, que é o essencial no processo de diagnóstico do vírus, para que todos saibam como agir de forma efetiva em casos considerados suspeitos em Guarapuava. Serão acompanhados casos de pessoas com os sintomas e que tenham viajado ou tido contato com alguém de áreas consideradas de risco”, ressaltou o secretário de Saúde, Celso Goes.
O evento reuniu enfermeiros, coordenadores de unidades de saúde, equipes do pronto atendimento de unidades hospitalares e técnicos de enfermagem, e estes tiveram acesso ao novo plano de contingência, desenvolvido com o intuito de padronizar o fluxo, encaminhamento e tratamento dos possíveis casos do Covid-19. Renan Leutner, de 29 anos, que trabalha nas salas de vacinas, comentou sobre a importância de falar sobre o coronavírus, para evitar precipitações e preocupações. “Acredito que nós, principalmente, temos que saber como agir e como orientar as pessoas, para evitar um possível pânico. Agora é um momento que todo mundo está inseguro e a nossa profissão é uma das responsáveis por manter as pessoas, de certa forma, tranquilizadas”, destacou a chefe de Departamento de Epidemiologia, Chayane Andrade.
A doença
A Organização Mundial da Saúde já considera a situação do coronavírus como uma pandemia mundial, pois o vírus Covid-19 já se espalhou por mais de 50 países. No Brasil, já contaminou 52 pessoas e em Guarapuava, um caso é considerado suspeito, segundo boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde nesta quarta-feira (11). Isso exige que a população redobre os cuidados.
O Coronavírus é provocado por um subtipo de vírus respiratório transmitido por vias aéreas e os sintomas iniciais são semelhantes a uma gripe. Após o contato com o vírus, a doença pode demorar até 14 dias para se manifestar, o que aumenta a chance de contágio. “Por hora, vamos continuar com o que já vínhamos fazendo, alertando a população quanto a etiqueta da tosse e aos cuidados necessários para a prevenção, principalmente com relação ao coronavírus, mas também quanto a todas as doenças virais que estão ao nosso redor” destacou Chayane.
A partir do momento em que for confirmado o caso, o paciente passa por uma série de exames de Raio-X e laboratoriais e será isolado. De acordo com o Ministério da Saúde, os casos leves devem ter isolamento e tratamento domiciliar. Somente casos moderados ou graves, que necessitem de U.T.I. ou suporte respiratório terão internamento hospitalar.
Prevenção
Os cuidados são os mesmos para evitar meningite, H1N1 ou até mesmo a gripe comum.
Abaixo, confira algumas recomendações da SESA para prevenção e controle:
- Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
- Higiene das mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
- Manter os locais arejados;
- Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
- Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis e após lavar as mãos).


Nenhum comentário: