Na região de Guarapuava, agricultura 4.0 é realidade na produção do campo - Cantu em Foco - O maior site de notícias online da região Cantu no Paraná

Últimas

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Na região de Guarapuava, agricultura 4.0 é realidade na produção do campo

Você provavelmente já ouviu falar da transformação digital em processos nos diversos setores econômicos, como indústria e comércio. É a chamada revolução 4.0, que moderniza operações por meio do uso de inteligência artificial, de internet das coisas e conexão entre sistemas. Essa onda tecnológica também está revolucionando o agronegócio e garantindo avanços na logística, na administração e na produtividade deste setor.
Com desafios como aumentar a produção de alimentos para atender ao crescimento da população, melhorar a eficiência energética, e consumo sustentável de insumos, a propriedade rural passou a ser administrada como uma empresa, com gestão e controle sobre as atividades, evitando desperdício e entendendo melhor o funcionamento de todos os setores.
“A agricultura 4.0 é a entrada do campo na era digital, é o uso da tecnologia e da inteligência artificial para melhorar equipamentos, conceitos e produtos dentro da esfera do agronegócio. Essa nova era ganhou força quando o produtor passou a ter conectividade no meio rural. A partir do momento que as empresas de telefonia e internet melhoraram o sinal no campo, e os produtores tiveram acessos às linhas de crédito para auxiliar nos investimentos, de uma maneira muito rápida aumentou a utilização de sistemas, softwares, equipamentos e ferramentas de integração que contribuem para obter informações específicas do campo, gestão operacional da fazenda, redução de perdas, direcionamento de investimentos, ou seja, planejamento”, avalia o Engenheiro Agrônomo Rodrigo Luz Martins.
Para o Inspetor do Crea-PR, Engenheiro Agrônomo Gabriel Dona, as ferramentas tecnológicas possibilitam uma melhor tomada de decisões e otimização de recursos no campo, auxiliando alguns casos de alta produtividade na região de Guarapuava.
“Nossa região é referência de produção em algumas culturas, e isso muito se deve à utilização das novas tecnologias que a agricultura 4.0 trouxe. Os profissionais e os produtores utilizam dessas tecnologias para aumentar sua produtividade, algumas são bem difundidas na região, principalmente as de GPS, piloto automático e agricultura de precisão”, observa Dona.
A empresa Aquilino é um dos cases de Guarapuava que trabalha com serviços de agricultura de precisão. Em sua metodologia, atua com informações de NDVI (Normalized Difference Vegetation Index), que é um índice de vegetação obtido por sensoriamento remoto e utilizado para análise localizada do comportamento de uma cultura.
“Pelo NDVI, analisamos o comportamento histórico das culturas em um determinado talhão e, através de metodologias específicas, definimos as chamadas zonas de manejo (regiões de comportamento distinto dentro de um mesmo talhão). Esse nível de detalhamento nos permite a investigação in loco das variáveis de física e de química do solo, de forma direcionada. Através da análise dos dados levantados é possível a tomada de decisão quanto à aplicação de corretivos e fertilizantes em taxa variável, descompactação de solo, definição de população de plantas e demais procedimentos”, explica o Engenheiro Agrônomo Mestre da Aquilino, Adriano Lodi Rissini.
Cenário regional
A modalidade da engenharia com o maior número de inscritos no Crea-PR na regional de Guarapuava é a Agronomia. São 1.225 profissionais cadastrados em toda a região (que compreende as inspetorias de Guarapuava, União da Vitória, Irati e Laranjeiras do Sul), sendo 357 somente no município de Guarapuava.
“A regional de Guarapuava tem uma forte vocação para a área agrícola, devido ao nosso potencial produtivo no campo, principalmente as culturas de inverno. Nesse contexto, os profissionais são de enorme importância no acompanhamento do cultivo dessas terras, e aqueles que não se adaptarem às novas tecnologias e soluções ficarão obsoletos. O engenheiro contribui para a segurança e sustentabilidade da produção alimentar, garantindo a aplicação das corretas técnicas, insumos e controles adequados”, afirma o Gerente da Regional de Guarapuava do Crea-PR, Thyago Giroldo Nalim.
Entre outras atividades, o Crea-PR realiza fiscalizações do exercício profissional da Agronomia. Somente em 2019, na regional de Guarapuava, estima-se que foram realizadas aproximadamente duas mil averiguações destas atividades específicas, dentre elas, foram abertos 369 processos de fiscalizações.

--

Nenhum comentário: