ENGIE ganha Selo Clima Paraná Ouro Plus - Cantu em Foco - O seu site de notícias da Cantu

Últimas

sábado, 9 de novembro de 2019

ENGIE ganha Selo Clima Paraná Ouro Plus

A ENGIE Brasil Energia recebeu o Prêmio Selo Clima Paraná 2019, concedido pelo governo do Estado a 36 empresas que, voluntariamente, realizaram seus inventários de emissões de gases do efeito estufa em 2018. A ENGIE foi um dos três destaques na categoria Ouro Plus, que exige inventários de emissões de gases de efeito estufa assegurados por empresa de terceira parte acreditadas pelo Inmetro, e redução, também assegurada, da pegada de carbono. 

A Companhia foi homenageada por meio das Usinas Hidrelétricas Salto Osório e Salto Santiago e o prêmio foi recebido pelo gerente da Usina Salto Osório, Antônio Carlos Martins.

“Esta premiação evidencia que estamos preocupados em combater as mudanças climáticas, reduzindo a pegada de carbono através de atitudes como  a redução da emissão de CO2 e outros gases de efeito estufa.”, comentou o gerente da Regional do Rio Iguaçu, Marcelo Schultz.

Para este ano a meta de redução das emissões visando a obtenção do selo Ouro Plus, foi de 0,5% em relação ao ano base anterior (2017), e a principal redução obtida nas referidas Usinas está diretamente relacionada ao consumo de energia da rede, Escopo 2. A classificação Escopo 2 é para fontes sobre as quais a empresa possui responsabilidade indireta, e refere-se também às fontes que provocam emissões indiretamente, por consumirem energia elétrica (ou térmica) produzida por outrem.

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Alcino de Andrade Tigrinho, destacou a relevância do processo: “Vejo como ponto culminante de um trabalho que, por mais oneroso que seja para uma empresa, é muito importante para a vida do planeta e de todos nós”.

Este é segundo ano consecutivo que a ENGIE é agraciada com o Selo Clima Paraná. As outras duas vencedoras na categoria Ouro Plus foram a Klabin, que reduziu o consumo de óleo combustível em duas unidades, priorizando a biomassa para geração de energia; e a CSN, que reduziu o consumo de gás natural com medidas de eficiência energética.

Nenhum comentário: