Vigilância Sanitária de Rio Bonito do Iguaçu divulga Nota Técnica sobre uso de agrotóxicos - Cantu em Foco - O seu site de notícias da Cantu

Últimas

terça-feira, 9 de julho de 2019

Vigilância Sanitária de Rio Bonito do Iguaçu divulga Nota Técnica sobre uso de agrotóxicos


Plano Regional de Vigilância e Atenção à Saúde das populações expostas alerta os agricultores dos municípios que abrangem a 5ª Regional de Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Bonito do Iguaçu através do Departamento de Vigilância Sanitária, divulga nota técnica emitida pelo Estado sobre os perigos do uso excessivo dos agrotóxicos.

O Paraná é o terceiro estado que mais utiliza agrotóxico, sendo assim foi elaborado um Plano Regional de Vigilância e Atenção a Saúde das Populações Exposta aos Agrotóxicos (PREVASPEA-5ª RS), onde contam com 18 ações que serão realizadas pelas equipes de vigilância em saúde dos municípios pertencentes a 5 ª Regional de Saúde – entre eles Rio Bonito do Iguaçu.

Uma das ações a serem desenvolvidas é relacionada ao esclarecimento sobre a capina química, sendo que fica proibido o uso deste tipo de serviço no quadro urbano de livre acesso ao público. Ainda o Estado fez a publicação de duas notas técnicas referindo a proibição da pratica da capina química (nota técnica 02/2019) e o esclarecimento sobre a capina química em ambientes urbanos de interseção com outros ambientes (nota técnica 04/2016).

Portanto, fica proibido o uso de agrotóxicos herbicidas para a eliminação e limpeza de plantas indesejáveis, a chamada capina química em áreas urbanas públicas como praças, jardins, canteiros, ruas e calçadas, pois está prática expõem os trabalhadores, a população que transita no local, animais domésticos e silvestres, a riscos à saúde. Além, de contribuir para o aumento da contaminação do solo e das águas. Esta técnica só poderá ser utilizada em ambientes urbanos que sejam de acesso restrito e controlada, com facilidade de isolamento quando da aplicação do produto, seguindo as normas de segurança, sinalizando e proibindo a entrada no local por 24 horas. 

O não cumprimento dessa Nota Técnica caracteriza infração sanitária, sujeitando o infrator a abertura de Processo Administrativo Sanitário.


Assessoria Comunicação RBI / Vigilância Sanitária RBI

Nenhum comentário: