Passar veneno está proibida na área urbana em Laranjeiras do Sul, - Cantu em Foco - O seu site de notícias da Cantu

Últimas

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Passar veneno está proibida na área urbana em Laranjeiras do Sul,

A capina química, feita à base de agrotóxicos, não é permita em áreas urbanas, pois expõe a população ao risco de intoxicação e pode contaminar a fauna e a flora. Por este motivo, atendendo orientação da ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Secretaria de Saúde, emitiu uma nota técnica sobre o tema objetivando orientar a população sobre os perigos do uso de agrotóxicos na cidade, especialmente em ruas, calçadas, praças e lotes. Essa ação é referente ao Plano Regional de vigilância da população expostas em agrotóxicos. Por isso, durante o mês de julho será feito um trabalho junto as Casas Agropecuárias, com orientações no sentido de alertar a população que na área urbana é proibido a capina química.

Esta prática no meio urbano contribui para o aumento da contaminação das águas de consumo humano, uma vez que os agrotóxicos depositados no solo são carregados pelas águas de chuva aos mananciais hídricos danificando a fauna e a flora. A pulverização dos agrotóxicos exige cuidados e normas de segurança como o uso de equipamentos de proteção individual, isolamento, sinalização e proibição de entrada no local por no mínimo 24 horas. Em ambientes urbanos, o isolamento de uma área por esse período é impraticável, isto é, não há meios de assegurar que toda a população seja adequadamente alertada sobre os riscos dos agrotóxicos, assim como ter restringido o acesso.
Desta forma, a Secretaria de Estado junto com a Secretaria Municipal de Saúde, está reiterando que é proibido o uso de agrotóxicos herbicidas para a eliminação e limpeza de plantas indesejáveis, a chamada capina química em áreas urbanas. O não cumprimento do estabelecimento, caracteriza infração sanitária, sujeitando ao infrator à abertura de processo administrativo. “É preciso obedecer às regras, respeitar as leis e não oferecer perigo a população. Entende-se que se um produto mata a vida, seja de mato ou de inseto, pode provocar danos a outras formas de vida, principalmente ao ser humano”, afirmou o Secretário de Saúde Valdemir Scarpari.
Fonte: Secretaria de Comunicação

Nenhum comentário: