Brasil

Bolsonaro desiste de acabar com placa Mercosul e promete melhorar segurança

Após sinalizar no ano passado que iria acabar com a placa unificada do Mercosul caso fosse eleito, o presidente Jair Bolsonaro parece ter mudado de ideia. 
Por meio do Ministério da Infraestrutura, o governo admitiu que não só pretende manter o novo sistema de identificação dos veículos no Brasil, como ainda ampliar o seu uso e melhorar o nível de segurança das informações. 
De acordo com o órgão, a placa padrão já é adotada por Detrans de sete estados: Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Amazonas, Bahia, Espírito Santo e Rio Grande do Norte. 
E até o momento, quase 1 milhão de veículos no país circulam com a nova chapa. A obrigatoriedade da implantação em todos estados, que estava prevista para vigorar em dezembro do ano passado, foi adiada para o próximo dia 30 de junho.
A alegação à época era de que seria necessário um prazo maior para integrar o banco de dados dos Departamentos de Trânsito estaduais à base nacional do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).
A falta de matéria-prima para a confecção das novas placas também surgiu como argumento para a mudança na data.
Segundo informou o Ministério da Infraestrutura ao site UOL Carros está em curso um estudo que avalia as características da placa e o processo para a sua emissão, como também o nível de segurança na identificação do veículo a fim de diminuir os riscos de clonagem.
Desde que a resolução 729 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que regulamenta a nova placa, foi publicada em março de 2018, o dispositivo já perdeu alguns itens de segurança previstos no projeto original. Na lista estão lacre, substituído pelo QR Code; tarja superior em 3D; e a bandeira do estado e o brasão do município nos quais o veículo foi registrado.
O Denatran informou que tais mudanças visavam a simplificação do sistema e o corte nos custos.
Au Online
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.