Cidades

Adolescente morre de meningite bacteriana em Campo Mourão

A estudante Nathalia Ferreira Hernando, de 15 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (26) em Campo Mourão por complicações de saúde provocada por meningite bacteriana. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Casa desde sexta-feira (22) e teve morte cerebral confirmada. As aulas na escola onde ela estudava, no Colégio Vicentino Santa Cruz, foram suspensas hoje. A reportagem não conseguiu ainda confirmar o local e horário de velório e sepultamento da adolescente.

A TRIBUNA apurou que a família autorizou a doação dos órgãos dela. A aluna tinha participado normalmente das aulas até quinta-feira da semana passada. Depois de passar mal em casa e ser encaminhada ao hospital, ela recebeu o atendimento médico onde permanecia internada em estado gravíssimo. Nathalia estudava no 2º ano do ensino médio. A estudante foi infectada por Meningite Meningocócica do tipo “B”, causada pela bactéria meningococo, essa é uma das formas mais agressivas da enfermidade. “É uma infecção grave, a gente chama de doença meningocócica, uma das formas da doença é a meningoencefalite que acometeu esta adolescente”, informou o médico infectologista do município, Rodolfo César Visoni Poliseli, durante coletiva de imprensa, ontem.

A diretora administrativa do Colégio Vicentino Santa Cruz, irmã Lucia Pantarolo Ferreira, informou na segunda-feira (25), durante coletiva à imprensa, que professores foram submetidos ao tratamento com antibióticos e colegas de classe da adolescente, nos casos em que os pais deram autorização. Segundo a diretora, assim que soube do caso, a instituição entrou em contato com os órgãos competentes. Nathalia recebeu várias mensagens de amigos no Facebook, que lamentaram a sua morte. “Você me deixou lindas e preciosas lembranças que juntas construímos, mas junto com elas ficará eternamente grudada esta saudade que fere a alma. Espero que você esteja em um lugar melhor, e que lá fique me esperando, pois sei que nos voltaremos a encontrar. Obrigada por todos os momentos juntas, você foi incrível. Descanse em paz princesa”, declarou uma amiga. Disseminação O médico Rodolfo Poliseli explicou que a disseminação das meningites bacterianas é de pessoa para pessoa, principalmente por meio de gotículas e secreções expelidas pelas vias respiratórias ou através da saliva. A principal forma de tratar a meningite é a partir de antibióticos. Medidas de suporte também podem ser aplicadas, como soro, corticoide e remédios para febre. Prevenção A principal forma de se manter longe da meningite B (e dos outros tipos) é por meio da imunização. E o ideal é que ela comece o mais cedo possível. Bebês devem tomar três doses no primeiro ano de vida (aos 3, 5 e 7 meses) e um reforço após o primeiro aniversário (entre 12 e 15 meses). Os pequenos que têm mais de 6 meses recebem duas doses até completarem 1 ano e uma terceira no segundo ano de vida. Para crianças maiores, adolescentes e adultos a indicação são duas doses com intervalos de dois meses entre cada uma.

É importante também que aqueles que têm contato com os bebês se vacinem. Meningite A meningite é uma doença causada por bactéria, vírus ou fungos. Trata-se de um processo inamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A forma mais grave da doença é a bacteriana. As bactérias que podem causar a doença são a Neisseria meningitidis (meningococo), Streptococcus pneumoniae (pneumococo), Streptococcus sp., Listeria monocytogenes, Escherichia coli, Treponema pallidum, Haemophilus inuenzae e Mycobacterium tuberculosis. Os principais sinais e sintomas da meningite bacteriana costumam se manifestar rapidamente e podem incluir Febre alta e calafrios; alterações do estado mental; náusea e vômitos; áreas roxas, como machucados; erupções, pontos vermelhos; sensibilidade à luz (fotofobia); dor de cabeça forte; pescoço rígido; perda de consciência; respiração acelerada, entre outros.

(Fonte: Tribuna do Interior)
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.