Paraná

Bope comemora oito anos e homenageia integrantes

O Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar do Paraná, comemorou em outubro oito anos de criação e a unidade fez nesta quinta-feira (1º) uma cerimônia com demonstrações de emprego de suas equipes em rapel de helicóptero, simulações de ocorrências e de controle de distúrbios civis no pátio do Quartel do Comando-Geral da PM, em Curitiba.
Além de um show de técnica e precisão, o evento homenageou os militares estaduais e civis com a entrega da Medalha Mérito Operações Especiais e com a formatura dos alunos do Curso de Controle de Distúrbios Civis.
A comandante-geral da PM, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, disse que a educação continuada da tropa do Bope é fundamental para que a unidade possa oferecer suporte às unidades de área da Polícia Militar. Sobre a entrega de medalhas, ela também citou que o reconhecimento aos militares pelo seu serviço serve como reconhecimento e agradecimento pelo trabalho.
“A capacitação é constante, por isso o Bope é considerado um efetivo para emprego em situações diferenciadas e as medalhas são um incentivo para que os policiais continuem treinando e se especializando buscando aprimorar habilidades e técnicas que podem fazer o diferencial no atendimento às ocorrências”, afirmou.
O Bope preparou uma série de demonstrações de cada subunidade para apresentar a essência do emprego da tropa em situações de roubo com refém, emprego de helicóptero e exercícios com viaturas.
BALANÇO - Também foi apresentado o balanço da atuação do batalhão na Capital e Região Metropolitana de Curitiba. De janeiro a outubro deste ano as equipes policiais apreenderam 224 armas de fogo, um aumento de 30,23% a mais que no ano anterior, quando foram 172 artefatos. O número de prisões também teve aumento de 20,36% do ano passado para 2018 (de 953 para 1.147).
Quando se trata de apreensões de drogas, os números dispararam. Neste ano a atuação do Bope resultou em 2,8 toneladas de maconha, 83 quilos de crack e 40 quilos de cocaína retirados de circulação, enquanto que no ano anterior foram 1,5 tonelada de maconha, sete quilos de crack e sete quilos de cocaína.
MEDALHA - Também houve a entrega da medalha Mérito Operações Especiais. A honraria foi entregue a seis civis e 23 policiais militares (praças e oficiais). “Sou policial militar desde 1998. Me sinto honrado em receber essa condecoração. Realmente é um motivo de orgulho”, disse o sargento Luciano Antunes de Moura.
“O evento de hoje é um motivo de felicidade, e é importante reconhecer os policiais e civis, que são amigos do Batalhão, que contribuem muito para o Bope ser o que é hoje. A profissão policial militar é um sacerdócio que exige comprometimento total, sem reservas, para que a população tenha uma referência quando mais precisar de socorro”, disse o comandante do Batalhão, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira.
Um dos momentos mais especiais foi a homenagem póstuma ao soldado Adriano Andrigo, que morreu em abril deste ano no cumprimento do dever, em Guarapuava. Os familiares receberam em nome dele a medalha Mérito Operações Especiais.
CONTROLE DE DISTÚRBIOS - A formatura dos alunos do Curso de Controle de Distúrbios Civis também teve seu momento especial, quando os familiares e amigos dos formandos colocaram na farda do policial o brevê com o brasão do curso. “Temos que vencer todas as barreiras para buscar o conhecimento, principalmente quem vem do Interior. Para nós foi gratificante e será um momento da vida que jamais vamos esquecer”, disse o soldado Abílio Oliveira da Silva, que atua em Guarapuava.
O soldado Igor Dias Pinto, da Polícia Militar do Distrito Federal, foi um dos policiais militares que veio ao Paraná aprender mais sobre o trabalho feito no Sul do país. Ele é integrante do 2º Batalhão de Choque. “Foi uma ótima experiência, tenho outros cursos na área de atividade policial, mas esse foi bem proveitoso. Temos que evoluir as técnicas, então essas informações serão bem utilizadas”, ressaltou.
AEN
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.