Paraná

Homem diz que matou mulher porque ela tirou sarro dele após ele "falhar na hora do Vuco-vuco"

Um vigilante de 50 anos confessou, nesta terça-feira (16), aos policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Curitiba, que matou uma jovem de 25 anos no dia 13 de maio deste ano. Na ocasião, o corpo da vítima foi encontrado nu e com sinais de agressão na Rua Teresa de Freitas Tavares, no bairro Campo de Santana. Mulher encontrada morta sem roupas em Curitiba foi vista pela última vez em bailão Segundo o delegado Alexandre Bonzatto, responsável pelo caso, o crime aconteceu depois de um desentendimento entre o homem e a mulher durante uma relação sexual. “O autor, que é casado e tem filho, nos contou que se encontrou com essa vítima em um bar. Eles não se conheciam e começaram a beber juntos.

Tarde da noite, já bastante alcoolizados, eles saíram para ter uma relação dentro do carro dele”, relatou o delegado em entrevista à Banda B. De acordo com Bonzatto, o suspeito admitiu que não conseguiu consumar o ato, o que deu início à discussão entre os dois. “O homem falou que a moça desprezou o seu desempenho e ele se irritou, partindo para a agressão. Ele tem um porte forte e avantajado, o que de certa forma dificultou a defesa da vítima”.

Após o assassinato, o vigilante, que mora na região, desovou o corpo próximo ao local do crime. “Ele só não esperava que câmeras de segurança flagrassem o veículo, que foi o que nos levou até a autoria”, completou o delegado. Prisão A Polícia Civil esclareceu que a partir das informações recolhidas na investigação, o vigilante foi conduzido à delegacia para prestar depoimento. O delegado informou ainda que o suspeito não tem antecedentes criminais e mostrou arrependimento durante o depoimento. Ele não permaneceu preso, no entanto, porque as descobertas são recentes e ainda não há um mandado de prisão decretado pela Justiça.
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.