Cantagalo

Filho agride a mãe em Cantagalo


O Senhor J.M.G., 63 anos entrou em contato via 190, informando que seu neto M.S., 20 anos estava agredindo sua genitora J.F.G. e que havia quebrado as janelas da sua residência, bem como ameaçando o mesmo e sua esposa T.F.G., 64 anos. No local, a equipe se deparou com o autor deitado no sofá, com uma lesão na região superior do olho direito. Indagado o Sr. J.M.G. e a Sra. T.F.G. sobre os fatos, ambos relataram que sofrem ameaças, agressões e extorsões de M.S. constantemente. Que o mesmo obriga os mesmos a dar dinheiro para o ele comprar drogas e bebidas, que na data de hoje por volta das 18horas, M.S. chegou a sua residência pedindo dinheiro, o Sr. J.M.G. falou que não tinha, onde o autor passou a jogar pedras na residência causando diversos danos, quebrando os vidros das janelas do quarto, sala e cozinha. Sua genitora foi conte-lo, momento que o mesmo passou agredi-la com socos e chutes, em seguida o mesmo pegou um pedaço de telha para agredi-la onde o Sr. J.M.G. e o irmão do autor dos fatos, o menor L.G.C. (16 anos) tentou impedir, sendo que M.S. correu atrás do irmão, vindo a bater a cabeça na tranca da porta da cozinha, vindo causar a referida lesão. A genitora relata ter medida protetiva em face de M.S., que obriga o “afastamento do lar; proibição do mesmo manter contato com ofendida e familiares, mantendo um limite mínimo de 100 (cem) metros; proibição do mesmo de manter contato com a ofendida e familiares, por qualquer meio de comunicação, referente ao processo da Vara Criminal de Cantagalo”. a senhora T.F.G. relata ainda que sua filha, sofre agressões e ameaças com frequência, porém é coagida por medo, onde não quer denunciar e não quer que seus pais denunciem os delitos. Diante dos fatos foi dada voz de prisão ao Sr. M.S. e encaminhado o mesmo ao posto de saúde do município para atendimento medico hospitalar. Durante o deslocamento o autor dos fatos passou chutar o camburão da viatura e desacatar a equipe policial chamando os soldados de “vagabundo”. No posto de saúde durante atendimento pelas enfermeiras e pela médica de plantão M.S. passou a ameaçar a equipe dizendo: #vou falar com o juiz que fui agredido pelos soldados, com uma coronhada# falando ainda que ele queria dinheiro dos avós para comprar drogas e que mesmo que ficasse preso um dia ele iria sair da cadeia e iria matar os avós, após colocaria fogo na casa de ambos, e que cadeia era pra homem#. Foi encaminhado M.S.
juntamente com seus avos para a 2ªSDP para procedimentos cabíveis. Foi necessário uso de algemas conforme decreto 8858/2016 devido ao receio comprovado de fuga e perigo à segurança da equipe policial, bem como do preso e terceiros.

Fonte: segundo relatório da Policia Militar
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.