Rio Bonito do Iguaçu

Audiência Pública debateu sobre estradas rurais, segurança pública e fechamentos de turmas em Escolas do Campo em Rio Bonito do Iguaçu



Diretores de escolas e o MST promoveram na manhã desta quinta-feira, 28, em Rio Bonito do Iguaçu uma Audiência Pública para debater com as autoridades constituídas sobre os problemas das estradas rurais, segurança pública e fechamentos de turmas. O local da reunião foi na Câmara de Vereadores e reuniu um grande público.

O evento contou com a presença do prefeito Ademir Fagundes, do presidente da Câmara, Milton Rodrigues e dos nove vereadores, além de secretários municipais, entre elas a secretária de Educação Fernanda Santi; do promotor substituto de justiça da Comarca, Dr. Felipe Lyra da Cunha, do representante dos diretores de escolas dos assentamentos e itinerantes, professor Rudson Ladislau; representando a APMF, Orlando Paim; o chefe do Núcleo Regional de Educação, Lidio dos Santos; a diretora do Campus da UFFS em Laranjeiras do Sul, professora Dra. Janete Stoffel; o assessor especial de Assuntos Fundiários do Governo do Paraná, Hamilton Serighelli;  Alecir Daga, representando a coordenação do MST na região.  Também se fizeram presentes alunos, pais, diretores de várias escolas do campo e população em geral.

A pauta discutida por todos foi sobre a problemática que os alunos dos assentamentos e dos acampamentos estão tendo em freqüentar regulamente as Escolas do Campo e, conseqüentemente, completarem o ano letivo. Também foi abordado sobre alguns fatos que ameaçam a segurança dos alunos durante sua convivência escolar – como cometimento de crimes por vândalos, violência entre outros.


O problema mais debatido por todos é a questão das estradas. O prefeito Ademir Fagundes, em seu discurso, fez toda uma retrospectiva de como pegou a Administração Municipal e como estão hoje os maquinários.

“Estamos com máquinas novas, retro escavadeiras, patrolas; tudo isso em pouco tempo de governo e através de diversos parceiros. Infelizmente não temos apoio do Governo Federal em terras da União, como no caso os assentamentos, onde precisaríamos de apoio com para com o óleo Diesel. Estamos fazendo a nossa parte e o que é possível para atender os pais e os alunos, adequando as estradas principais e tendo força de vontade em solucionar este problema que não é de hoje em nosso município”, explicou o prefeito.

A secretária Fernanda Santi também que apesar da grande malha viária no município, principalmente nos assentamentos e acampamentos, a Educação através do Departamento de Transporte está atendendo pelas principais rotas, para que os alunos tenham a segurança em chegar às escolas.

O promotor de Justiça, Dr. Felipe Lyra da Cunha, durante a audiência afirmou que o Ministério Público tem ciência de todas as situações desfavoráveis aos alunos e que através da união de esforços de todos os órgãos constituídos, se chegará numa solução para as condições de transporte e estrutura para os estudantes.

O chefe do NRE, Lídio dos Santos, disse que está ciente da situação do transporte e condições de chegada, além de que os alunos não serão prejudicados. Afirmou também não haverá mais remanejamento ou fechamento de turmas.

Todos os membros representantes das entidades tiveram seus tempos de falas como forma de justificarem seu papel e apontar soluções. Após isso, foram abertas perguntas as autoridades e dadas às considerações finais.



Assessoria Comunicação RBI




Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.