Brasil

Ameaça de nova greve dos caminhoneiros é falso, diz sindicato

Diversas mensagens, entre áudios, textos e vídeos disparados por meio do WhatsApp informam sobre o desencadeamento de uma nova greve dos caminhoneiros, que estaria marcada para ter início à meia noite de segunda-feira (04).  No entanto a informação não é verdadeira.
As mensagens justificam a nova greve como uma forma de retaliação ao governo, que teria descumprido parte dos acordos e medidas propostas para os caminhoneiros. A nova paralisação, segundo as mensagens, seria de uma greve mais forte e ordenada.
Mas o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros da sessão Londrina nega a informação e diz se tratar de ‘fake news’. Conforme Carlos De La Rosa, não há nenhum motivo para uma nova paralisação da categoria. A Federação Nacional dos Caminhoneiros (Fenacam) também descarta uma nova mobilização.
Além disso, o que torna o desencadeamento de outra greve inviável é a presença ostensiva das Forças de Segurança do Governo, que possuem ordem legal para desobstruir as rodovias, inclusive os acostamentos. A medida foi uma forma encontrada pelo governo para desmobilizar o movimento, que durou 11 dias e impactou a economia do país.
MOTORISTAS PREVENIDOS
Com o boato de uma nova greve ganhando força, motoristas aproveitaram o dia para abastecer em postos de Londrina. Em quase todo estabelecimento, filas se formaram para garantir combustíveis, diante das informações recebidas pelas redes sociais de que uma nova paralisação seria iniciada.
Porém, considera-se também pelos sindicalistas, que os donos de postos iniciaram o boato para provocar alarde na população e com isso, incentivar os motoristas a abastecer.
24horas
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.