Brasil

Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) emite nota

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) anunciou o fim da greve nas rodovias e pediu compreensão dos caminhoneiros para a retomada dos trabalhos. Em nota emitida após uma reunião com órgãos de segurança, em Curitiba, a CNTA destacou as conquistas do movimento grevista, mas alertou para riscos dos resultados se perderem com a continuidade da paralisação. 
"Entendemos que daqui para frente só haverá prejuízo aos caminhoneiros, de modo que a CNTA e todas as entidades sindicais de sua base, pedem a compreensão pelo fim da paralisação", informou a confederação. 
Outra preocupação da entidade é a infiltração de elementos estranhos aos interesses dos caminhoneiros no protesto. Segundo a nota, em vários pontos do Paraná os motoristas foram ameaçados e forçados a aderir à paralisação. 
"A CNTA foi informada, através de diversos pontos de manifestações, que caminhoneiros estavam sendo forçados e ameaçados a permanecerem parados e que grupos estranhos ao movimento da categoria se infiltraram na paralisação com outros objetivos, do que foi apresentado na pauta inicial dos caminhoneiros", disse. 
Veja a nota divulgada na tarde desta terça-feira (29) na íntegra: 

A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRANSPORTADORES AUTÔNOMOS – CNTA, vem à público e à toda sociedade comunicar o que segue: A paralisação nacional dos caminhoneiros autônomos resultou nas seguintes conquistas anunciadas pelo Governo Federal nos dias 24/05 e 27/05:
1. Redução do preço do óleo diesel, no percentual equivalente ao PIS/Cofins e CIDE, por 60 dias. Após este prazo, o reajuste do preço do diesel será a cada 30 dias.
2. Isenção da cobrança de pedágio do eixo suspenso em todas as rodovias do Brasil, federais, estaduais e municipais.
3. Garantia de contratação de 30% do volume de fretes da CONAB, para os caminhoneiros autônomos, com dispensa de processo licitatório.
4. Tabela de piso mínimo de frete, reajustada a cada 6 meses, baseada nos custos de óleo diesel e pedágio.
5. Extinção das ações judiciais propostas pela União, relacionadas à paralisação.
Nosso movimento até aqui foi extraordinário. De forma organizada, paramos o país e ganhamos o reconhecimento e respeito da sociedade. Nossa pauta inicial e prioritária foi plenamente atendida pelo Governo. Atingimos nossos objetivos, porém, a partir deste momento, entrando no 9º dia de paralisação, os caminhoneiros, suas famílias e toda a sociedade começam a sofrer um desgaste desnecessário. Tudo que foi conquistado até agora, como a boa imagem da categoria perante a população e as reivindicações atendidas, correm o risco de se perder.
A CNTA foi informada, através de diversos pontos de manifestações, que caminhoneiros estavam sendo forçados e ameaçados a permanecerem parados e que grupos estranhos ao movimento da categoria se infiltraram na paralisação com outros objetivos, do que foi apresentado na pauta inicial dos caminhoneiros.
Entendemos que daqui para frente só haverá prejuízo aos caminhoneiros, de modo que a CNTA e todas as entidades sindicais de sua base, pedem a compreensão pelo fim da paralisação. 
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.