Brasil

Pastor preso suspeito de abuso sexual pediu fotos de adolescente nua em troca de ‘quebrar uma maldição’


Mensagens divulgadas pela Polícia Civil revelam que o bispo evangélico Marcones dos Santos Pereira, de 47 anos, preso suspeito de abusar sexualmente de uma adolescente de 13 anos, pediu fotos da menor nua para, em troca, “quebrar uma maldição”, em Cristalina, no Entorno do Distrito Federal. No diálogo com a vítima, o religioso pediu para que ela confiasse nele, e disse que as imagens eram um pedido “dos anjos”.

“Preciso proteger você. Você tem que confiar em mim e fazer o que eu te pedir. (...) Tenho que pegar uma foto sua para quebrar esta maldição que ele deixou em você. É uma foto do seu corpo todo, os anjos que pediram. Assim que quebrar [a maldição], eu apago”, escreve o pastor.

Marcones foi preso no domingo (8), quando chegava para presidir um culto em uma igreja de Balneário Camboriú, litoral norte de Santa Catarina. A Justiça de Goiás expediu o mandado de prisão após pedido da delegacia de Polícia Civil da cidade, que recebeu denúncia da mãe da adolescente.

O religioso era investigado desde fevereiro deste ano. A mãe da menor, que não quis se identificar, disse que a filha conheceu o bispo em junho de 2017, quando ele chegou a Cristalina para presidir o culto. Desde então, segundo a família, ele trocava mensagens com a adolescente.

“Eu percebi ela mais agressiva comigo com o passar dos dias, nervosa. Tinha vez que ela queria me contar alguma coisa. Foi um choque. O pai dela ficou aterrorizado. A gente fica muito triste em saber que as pessoas usam o nome de Deus, para fazer uma coisa desta”, desabafou a mãe.

Pastor Marcones dos Santos Pereira foi preso em Santa Catarina (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)


O delegado Rafael Pareja, responsável pelas investigações, informou por telefone ao G1 que até as 13h45 desta terça-feira (10), nenhum advogado procurou a delegacia para apresentar defesa do religioso.

Ainda segundo ele, o pastor não era ligado a nenhuma igreja, e atuava fazendo pregações em diferentes instituições. Conforme o investigador, o bispo costumava participar de eventos religiosos em Goiás, Distrito Federal, outros estados e até mesmo no exterior.

Ele se aproximava dos fieis oferecendo ajuda espiritual. Pelo conteúdo das mensagens trocadas com a estudante, a polícia acredita que outras pessoas foram vítimas.

“Inclusive, em uma das conversas, ele diz para a menor que ele já é acostumado a tirar a virgindade de outras meninas, para ela ficar calma que daria tudo certo. Então eu acredito que sim, existem outras vítimas, que podem aparecer. Que com a prisão dele, agora, elas tomem coragem para denunciar.


O bispo, que está preso em Santa Catarina, deve ser transferido para Goiás, segundo o delegado, em no máximo 10 dias, e vai responder por exploração sexual de menores e pedofilia.

Fonte:G1
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.