Paraná

Macumba é confundida com explosivo e mobiliza Esquadrão Antibombas da PM em Curitiba


Uma oferenda deixada em frente a uma agência bancária no Bairro Alto, em Curitiba, mobilizou o esquadrão Antibombas da Polícia Militar (PM) e ao menos seis viaturas na manhã desta terça-feira (10). O pacote foi encontrado por volta das 7h na esquina entre as ruas Alberico Flores Bueno e Rio Guaporé, onde o trânsito foi fechado por cerca de duas horas e um ônibus da linha Bairro Alto/Santa Cândida precisou ser desviado. Segundo a Urbs -— empresa que administra o transporte público de Curitiba —, o coletivo não perdeu ponto e nem sofreu atraso.

De acordo com empresário Rubens Costa, 39 anos, que trabalha em frente ao banco, a suspeita de uma bomba chamou a atenção de quem passava pela região e muitos curiosos se aglomeraram ao redor da área isolada para acompanhar a situação. “Quando os funcionários do banco localizaram o embrulho no jardim da agência, acionaram a polícia, que começou a chegar depois das 8h”, disse.

Os primeiros PMs a atender a ocorrência isolaram a área e, logo depois, o Esquadrão Antibombas iniciou o procedimento padrão para verificar se o material embrulhado para presente se tratava de um artefato explosivo. “Todos os funcionários do banco ficaram do lado de fora por quase três horas e o trânsito ficou bem complicado”, disse o empresário.

Segundo o tenente João Bonato, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o Esquadrão Antibombas verificou o material e constatou que era uma oferenda ligada a algum ato religioso. “Podemos dizer que se tratava de uma macumba, então, não foi necessária a implosão do material. O embrulho somente foi retirado do local”, explicou.

Nenhuma testemunha soube relatar quem deixou o pacote em frente à agência e nem o horário da ação. “Mas percebemos que o trabalho da polícia foi minucioso, mostrando que estão preparados. Afinal, poderia ser alguma coisa”, finalizou o comerciante João Fabiano.


Fonte:Gazeta do Povo
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.