Mundo

Arábia Saudita punirá quem olhar o celular do parceiro sem permissão


As pessoas casadas que pretendem espiar o cônjuge na Arábia Saudita devem pensar duas vezes antes de fazê-lo. Isso porque a prática agora é crime, rende multa de 500 mil riyals (mais de R$ 440 mil) e uma pena de prisão de um ano, informou o Ministério da Informação do país. As informações são do jornal israelense The Time Of Israel.

Essa nova punição será acrescentada à lei contra crimes cibernéticos, que entrou em vigor na semana passada e tem como objetivo "proteger a moralidade dos indivíduos e da sociedade, mas também da vida privada", de acordo com o ministério.

Ainda segundo o comunicado, a medida foi adotada por conta de um "aumento constante de cibercrimes, como chantagem, peculato (crime de desvio de um bem ou valor público por funcionário que tenha acesso a eles) e difamação".

O país do Oriente Médio lançou, nos últimos meses, uma série de mudanças em suas legislações desde a ascensão do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman ao poder no ano passado.

Segundo o jornal, as leis perante a crimes cibernéticos na Arábia Saudita já atraíram duras críticas dos grupos de direitos internacionais.

Em setembro de 2017, o governo havia pedido pra que os cidadãos do reino saudita informassem por um aplicativo comandado pelo governo — chamado "Somos todos segurança" — as atividades suspeitas nas mídias sociais de seus concidadãos.

Olhar o celular dos outros não é só crime da Arábia Saudita

Em 2016, uma mulher árabe expatriada que vivia nos Emirados Árabes Unidos foi multada e deportada porque checou o telefone do marido sem sua permissão, suspeitando que ele estava tendo um caso. A informação é da agência de notícias russa Sputnik.

Fonte:R7
Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.