Brasil

Você já ouviu falar em "Gasolina Formulada", ela pode está no seu tanque do seu veículo e você nem sabia

Mecânicos afirmam que a essa gasolina entope bicos injetores e o uso prolongado pode levar a problemas mais graves

Com anuência da ANP (Agência Nacional do Petróleo), os postos de todo o Brasil já podem vender um tipo de gasolina chamado de “formulada”. 

De acordo com especialistas, o composto é feito pela combinação de cerca de 200 solventes e “se aproxima” da composição molecular da gasolina comum, derivada do petróleo. 

A gasolina formulada não é o mesmo que a gasolina aditivada. Ao contrário desta última, a versão formulada não possui substâncias que atuam na melhoria do desempenho dos veículos em que está sendo usada. A formulada pode, inclusive, oferecer rendimento inferior à chamada de refinada, entretanto, é diferente da gasolina batizada ou adulterada, mas todas são vendidas como “gasolina comum”.
Achou confuso? Fique por dentro de tudo que está sendo falado sobre este assunto e reflita sobre a melhor alternativa para o seu carro ou moto.

O que é a gasolina formulada?

A gasolina que chamamos de refinada é o combustível que passou pelo processo de refinação. Nele, diversas substâncias contidas no petróleo cru são eliminadas antes da comercialização nas bombas dos postos de combustível. O produto final é vendido como “gasolina comum”. Com as sobras dos resíduos petroquímicos, são acrescentados, em laboratórios especializados, cerca de 200 outros componentes químicos, como solventes e hidrocarbonetos leves, que geram uma molécula bem próxima à da gasolina refinada, mas com odor diferente do típico “cheiro de gasolina” que estamos acostumados. Após este processo, esse combustível abastece os postos, e é vendido ao consumidos também sob o nome de “gasolina comum”.
Para a Agência Nacional do Petróleo, a prática está em conformidade com as leis e a fiscalização do produto. Toda a gasolina produzida no Brasil e no mundo para fins comerciais é formulada, de acordo com o órgão. A explicação é simples: toda a produção da gasolina consiste na mistura dos compostos de carbono e hidrogênio, seja ela feita em refinarias ou em laboratórios autorizados que adquirem as sobras que vêm das próprias refinarias.
No Brasil, a maior parte da gasolina dos postos provém de refinarias. Entretanto, é comum que, quando o barril de petróleo está em baixa internacionalmente e o preço aumenta, o combustível começa a ser fabricado por meio dos laboratórios que investem na formulação, e é vendida para o distribuidor a um valor bem mais competitivo perante o mercado.

Os problemas da gasolina formulada

gasolina formulada obtida em laboratório tende a ter rendimento inferior que a gasolina produzida nas refinarias. Isso acontece porque o produto “puro” é mais concentrado, e oferece melhor rendimento para o seu carro. Já a opção formulada, por ser mais volátil (ou seja, evapora facilmente), diminui a qualidade do combustível, o que acarreta em rendimento baixo na hora de contabilizar os famosos quilômetros rodados por litro do produto. Além disso, a quantidade de elementos acrescentados na fórmula também facilita a adulteração do combustível, que, se não for devidamente fiscalizado, pode acabar indo parar no tanque do seu carro. Viu só?! além de se preocupar com o seguro auto, você também precisa estar atento quanto a qualidade da gasolina.
Há diferença sobre o prejuízo que a formulada pode causar aos veículos. Para os mecânicos, dependendo dos solventes que compõem a gasolina, as peças que entram em contato com ela e que são de plástico ou borracha podem rapidamente se deteriorar. Outro ponto de atenção é quanto aos resíduos que acabam ficando nas velas e nos bicos injetores do carro. Ele pode causar mau funcionamento das peças, o que ajuda a consumir ainda mais combustível quando a gasolina formulada é utilizada. Já para a Agência Nacional do Petróleo, como o combustível cumpre a legislação e tem a mesma função da versão refinada, não há prejuízo para quem o utiliza.

E você?

Com venda autorizada pela Agência Nacional do Petróleo, a gasolina formulada e a refinada são vendidas para você como “gasolina comum” no mercado há anos. Não há identificação sobre a origem do produto que irá para o tanque do seu carro. Para o consumidor, ainda, é desconhecido o fato de que pode estar comprando um combustível diferente do que o esperado, que tem rendimento inferior.
O preço da formulada é mais baixo, mas esta redução não costuma ser repassada ao consumidor. Às vezes, quando nos deparamos com um preço de gasolina abaixo do normal, o posto pode sim estar diminuindo o preço por se tratar da versão formulada, embora muitos distribuidores afirmem que não sabem a procedência do produto adquirido.
Não existe no País obrigatoriedade sobre esta informação. Entretanto, por se tratar de um direito do consumidor, as cidades e os municípios têm liberdade para impor determinações a esta prática. É por isso que, em alguns locais, o aviso é fixado em cartazes por todo o posto de gasolina ou na própria bomba. Paraná, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Bauru, no interior de São Paulo, já estão de olho, e agora obrigam os postos de abastecimento a informar o cliente, mas a fiscalização, infelizmente, é ineficiente.
Para se precaver também da possibilidade de colocar gasolina adulterada, já que a opção formulada pode acabar sendo facilmente adulterada, você tem o direito de exigir a verificação do combustível, conhecido como “teste de proveta”, disponível em todos os postos do país. Ele vai verificar o teor de álcool do combustível, sendo que, no final do procedimento, a gasolina (amarela) deve estar em cima da mistura de água e álcool. Um veículo que apresenta mau funcionamento devido ao uso de gasolina fora das especificações autorizadas pode causar um estrago também no seu orçamento, com valores que chegam a até R$ 3.000.
Agora que você já está sabendo tudo sobre a gasolina formulada, com certeza você vai pensar melhor sobre a qualidade do combustível que vai para dentro do seu veículo!

Cantu em Foco

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.