segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Viu no WhatsApp que o governo liberou mais dinheiro do FGTS? É golpe

Após a tentativa de enganar usuários com um suposto 14º salário oferecido pelo Governo Federal, mais uma mensagem falsa tenta causar malefícios no WhatsApp. O chamariz da vez também envolve o Governo e o imaginário popular de um dinheiro a mais pingando na sua conta: a mensagem falsa agora envolve um novo saque de contas inativas do FGTS.

O golpe foi identificado pela ESET, empresa especialista em segurança digital. O novo crime virtual relativo a contas do FGTS divulga um suposto pagamento retroativo de R$ 1.760 de contas inativas do trabalhador. Ele é divulgado via WhatsApp, exigindo que a informação seja compartilhada com cinco contatos para obter o benefício.

Até o momento, segundo a ESET, o golpe já teve mais de 135 mil acessos de brasileiros. A fraude é muito similar a outras já vistas no mensageiro anteriormente. Ela é focada na quantidade de cliques realizados pelas vítimas, podendo envolver plataformas de publicidade ou até mesmo a inscrição em serviços premium.

Desta vez, os criminosos envolvidos no golpe tentaram impedir a análise do código da página maliciosa com barreiras. A proteção, contudo, pode ser contornada pela equipe da ESET simplesmente ao desabilitar o Javascript da página.
Não acredite em tudo que te mandam

O novo golpe é bastante similar aos outros vários que circulam pelo mensageiro e mexem com a curiosidade do brasileiro. A dica mais valiosa para qualquer informação que pareça muito boa no aplicativo é: sempre desconfie e não saia clicando em tudo o que seus contatos te mandam. Melhor ainda, não compartilhe tais conteúdos, a fim de evitar que outras pessoas caiam em golpes.

Para tirar a dúvida sobre se o que é visto no mensageiro é verdade ou não, é sempre bom consultar sites oficiais ou especializados no assunto - no caso do FGTS, o UOL Economia pode ser consultado sempre. As empresas de segurança ainda recomendam que os celulares contem com proteções extras, como aplicativos que rastreiam essas ameaças e protejam o usuário.
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco | A informação ao seu alcance. Criado por: Cantu em Foco