sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Helley é definida como uma guerreira, que sempre cuidou dos seus alunos com muita dedicação

Uma das vítimas do incêndio criminoso em uma creche em Janaúba, no Norte de Minas Gerais, Helley Abreu Batista lutou com o autor do crime para tentar salvar seus alunos. "A conduta dela foi heroica, ela mostrou que estava ali realmente pra proteger todas aquelas crianças", disse o delegado Bruno Fernandes Barbosa sobre a professora, de 43 anos.

 Ela teve 90% do corpo queimado e morreu no hospital cerca de 11 horas depois da tragédia. Além de Helley, cinco crianças morreram depois que Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo ao próprio corpo e ao corpo de alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente. Santos morreu no hospital, poucas horas após o crime. Entre os colegas de profissão, Helley é definida como uma guerreira, que sempre cuidou dos seus alunos com muita dedicação. "Ela era muito cativante, alegre e conseguia envolver cada aluno com seu olhar peculiar. Ser professor é ser Helley Abreu", disse Eliane Faria, pedagoga que trabalhou como supervisora em uma escola onde a Helley lecionou, em 2016. 

A professora era casada e deixa três filhos, de 1, 11 e 13 anos. "Ela era alegre, de bem com a vida. Cheia de fé e esperança. Era isso que tinha, muita esperança. Estou desolada como amiga e colega de profissão. Helley lutou até o fim", conta a pedagoga Elisdete Souza da Silva. Segundo a Prefeitura de Janaúba, Helley era contratada pelo município desde 2016 e neste ano começou a trabalhar na creche onde ocorreu a tragédia.

G1
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco | A informação ao seu alcance. Criado por: Cantu em Foco