quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Capital seria Lages e a moeda seria o pila, diz fundador de movimento separatista do Sul

Depois do conturbado referendo pela independência da Catalunha, a equipe de voluntários que defende a separação da Região Sul do restante do Brasil dobrou de tamanho. É o que diz um dos fundadores do movimento O Sul É o Meu País, o jornalista catarinense Celso Deucher, 50 anos.
Ele prevê 32 mil pessoas ajudando a organizar o plebiscito informal – portanto, sem validade legal – marcado para o próximo sábado. Em 3 mil urnas espalhadas por 960 cidades dos três Estados do Sul, os participantes responderão à pergunta: "Você quer que Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul formem um país independente?".
“Nossa ideia é que a capital administrativa, por estar no centro do território e perto de tudo – o que seria importante para concentrar os Três Poderes, as Forças Armadas e essa coisarada toda –, seja Lages (SC)”, afirmou em entrevista ao jornalista Paulo Germano, do Grupo RBS.
O separatista também destacou qual seria a moeda adotada.
“Lançamos no mês passado, no 25º Congresso Nacional do movimento O Sul É o Meu País, o pila como nossa futura moeda. Estou falando sério. Na nota de um pila, o homenageado é Guairacá. Na de cinco pilas, Sepé Tiaraju. Na de 10 pilas, Bento Gonçalves e, na de 20 pilas, Anita Garibaldi”, afirmou.
Em Laranjeiras do Sul, haverá ponto de votação no sábado (07).
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco | A informação ao seu alcance. Criado por: Cantu em Foco