quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Bebê some e mãe diz que 'trocou' criança por bebida alcoólica, diz polícia do AM


A polícia desvendou nesta quarta-feira (27) o desaparecimento de um bebê de cinco meses, filha de uma moradora de rua. Segundo a polícia, a mãe biológica disse que teria entregado a filha para um casal em troca de uma dose de bebida alcoólica. A criança foi localizada em uma casa situada no bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste de Manaus, aos cuidados de uma auxiliar de serviços gerais.

De acordo com a delegada da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Juliana Tuma, as investigações em torno do caso iniciaram no dia 22 de setembro, após o Conselho Tutelar da Zona Sul informar a polícia sobre o sumiço da bebê, ocorrido há aproximadamente dois meses nas proximidades da orla da Manaus Moderna.

"Membros do Conselho Tutelar nos relataram que a mãe da bebê não estava mais sendo vista com essa bebê. Então começamos a tratar como um caso de desaparecimento. Ao longo de toda terça-feira , realizamos diligências ininterruptas com o intuito de encontrarmos a criança e a mãe, porque a mulher precisava ser responsabilizada e, também, prestar esclarecimentos acerca do sumiço da filha", explicou Tuma.

A delegada comentou ainda que a mãe biológica da criança foi encontrada na terça-feira (26) e foi encaminhada para a Depca para prestar depoimento. Na delegacia, ela contou que havia entregado a filha para uma pessoa pois havia sofrido um ataque epilético. Após esta versão, ela confessou que trocou a filha com um casal de moradores de rua por uma dose de bebida alcoólica.

"Confrontamos ela com informações dos moradores daquela área. Finalmente a mãe admitiu que realmente havia trocado a filha dela por uma dose de bebida alcoólica, mas ela não sabia para quem. A partir daí solicitamos para que as pessoas que soubessem de alguma informação sobre o paradeiro da bebê nos ajudassem a encontrar a criança”, disse a delegada.

Uma auxiliar de serviços gerais de 32 anos foi até a Depca na manhã de quarta-feira  e informou que estava com a bebê. Os policiais foram até a casa dela, na Comunidade Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste, e constataram a informação. O bebê foi levado para a delegacia.
Na delegacia, a auxiliar de serviços gerais comentou que a criança foi entregue à ela pela própria mãe, há cerca de dois meses. Ela contou ainda que, na ocasião, a bebê estava chorando de fome, em estado de subnutrição e, ainda, que a mãe a oferecia para as pessoas que moravam ou trabalhavam no Centro.

"Ela me entregou a bebê espontaneamente. A mulher estava embriagada. A neném estava com um hematoma no rosto porque a mãe tinha caído com ela. A bebê estava chorando muito e com fome. Eu a levei pra casa e passei a cuidar dela como se fosse minha filha. Quando eu ouvi que a polícia estava procurando uma criança com a idade dela, eu fui até a delegacia. Eu e todos da minha família chamam a neném de Maria Vitória, pois ela é uma vitoriosa. Durante esse tempo em que ela esteve comigo eu sempre procurei a mãe da menina para que ele me passasse a guarda da Vitória de forma legal, mas eu não a encontrei mais", relatou a auxiliar de serviços gerais.

Ainda conforme a delegada Juliana Tuma, explicou que toda a família da auxiliar de serviços gerais já havia se apegado a criança, que estava sob bons cuidados. "É importante que a gente deixe claro que não é possível esse tipo de situação, é necessário regulamentar a guarda. Ela será orientada a entrar com pedido de guarda temporária e, posteriormente, por intermédio da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), aguardar o processo de adoção. Enquanto isso, a bebê será levada para um serviço de acolhimento institucional”, disse a delegada.

Fonte:G1
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco | A informação ao seu alcance. Criado por: Cantu em Foco