domingo, 2 de julho de 2017

Voce toma isso ou conhece alguém que tome ? Saiba que pode destruir a sua saúde, veja o porque

Com tanta comida de plástico no planeta e as pessoas se enchendo de porcarias gordurentas, não há dúvidas que o grande mal da humanidade é ter problemas no estômago.
Quando surgiu, o Omeprazol foi considerado uma verdadeira salvação para aqueles que sofrem dos males que atingem o órgão.
Porém, o tão aclamado medicamento pode trazer inúmeros problemas de saúde para quem consome em excesso.
Segundo um artigo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA), o uso prolongado do medicamento (cerca de 2 anos), pode provocar demência e outros males.
O Omeprazol faz parte da lista dos “medicamentos essenciais” da OMS – Organização Mundial de Saúde, sendo o segundo remédio mais consumido do mundo, ficando atrás apenas do paracetamol.
Indicado para quem sofre de azia, má digestão, refluxo e úlceras pépticas benignas, tanto duodenal quanto gástrica, o medicamento pode causar vários males colaterais a longo prazo.
Riscos do Omeprazol para a saúde
Maior probabilidade de desenvolver doenças do coração
Segundo um estudo realizado com tecido humano publicado em 2013 pelo Circulation, jornal da Associação Americana do Coração, o Omeprazol pode aumentar o risco de ataque e doenças do coração.
Os antiácidos supressores da bomba de prótons (o ácido gástrico) provocam a constrição dos vasos sanguíneos e uma diminuição do fluxo de sangue, segundo médico J. Cooke, chefe do departamento de ciências cardiovasculares do Houston Methodist Hospital.
Osteoporose, espasmos musculares e derrame cerebral
A FDA – Food and Drug Administration, o órgão governamental norte-americano que cuida de drogas e alimentos, já aletrou duas vezes sobre os perigos do uso prolongado do medicamento.
Espasmos musculares, enfraquecimento dos ossos, convulsões, derrames cerebrais e o risco de arritmias aumentam porque esse tipo de medicamento leva a uma queda na absorção de magnésio, segundo a Harvard Health Publications.
Demência e anemia
O uso continuado do medicamento leva a uma baixa absorção da vitamina B12, segundo pesquisadores da Kaiser Permanente, líder na indústria da saúde norte-americana.
Foram comparados 25 mil pacientes com níveis baixos de B12 com outros 200 mil que não sofriam da carência da vitamina. Os estudos comprovaram que a pessoa que consome o medicamento por mais de 2 anos tem 65 por cento mais chances de ter deficiências vitamínicas, o que pode causar anemia, danos nos nervos e até a demência.
No entanto, o médico Douglas Corlkey, gastroenterologista da Kaiser, disse que as pessoas não precisam necessariamente pararem de se medicar. O mais correto é conversar com um especialista para conhecer outras opções que não tenham tantos efeitos colaterais.
Nós, aqui, do soCuraNatural, sugerimos que, para não ter que tomar esse tipo de remédio por conta das comidas que você come, o melhor é empreender uma regulamentação alimentar e evitar esse e quaisquer outro tipo de problemas causados pelas químicas industriais.
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco - O maior site de notícias da Cantu. Criado por: Cantu em Foco