segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Desacordo entre pastora e membro de igreja motivou morte de mulher com deficiência, diz Polícia

O suspeito de ter matado Aline Cristiane dos Santos Pimentel, 27 anos, foi preso nesta segunda-feira (28). Ele foi detido em Guaraniaçu, no Oeste do Paraná, por furto qualificado e tentado de gado, após invadir uma propriedade de terra. No entanto, a Polícia Civil acredita que ele tenha entrado no local para se esconder das autoridades.
O homem identificado como Derci Manoel dos Santo era vizinho da família da mulher e, inclusive, frequentava a mesma igreja que ela. Ele tem 40 anos de idade.
De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídios (DH), a motivação do crime foi uma discussão que ocorreu entre a pastora da igreja, que é mãe de Aline, e Derci, que cuidava do sistema de som. A delegada Mariana Vieira informou que a líder religiosa pediu para que o suspeito mudasse as trilhas usadas nos cultos. Eles entraram em desacordo e Derci mostrou seu descontentamento. 
O corpo de Aline Cristiane foi encontrado no dia 14 de novembro, em meio a galhos no reassentamento São Francisco, às margens da BR-369, em Cascavel, no Oeste do Paraná. Aline foi morta em decorrência de afogamento. Laudo do IML apontou que ela levou uma pancada na cabeça por um objeto, que provocou corte na cabeça. Ao cair, se afogou.
A delegada responsável pelo caso ainda contou que o homem tinha informações sobre as investigações porque frequentava a igreja, mesmo após o crime. Apesar das acusações, ele nega veementemente. Quando percebeu que seria identificado, fugiu para Guaraniaçu.
Aline tinha a idade mental de uma criança de 12 anos, segundo familiares. Ela saiu de casa no dia desaparecimento, pela manhã, dizendo que queria comprar uma bola para brincar e não foi mais vista. 
Colaboração: Cristiane Guimarães/Rede Massa.
Recomendamos para você:
 
VOLTAR AO INICIO
Copyright © 2013-2017 Cantu em Foco | A informação ao seu alcance. Criado por: Cantu em Foco